Cinema

Crítica: Batman vs Superman: A Origem da Justiça é a redenção da DC nos cinemas?

O filme que teve como missão redimir Ben Affleck, Zack Snyder e a DC.

Um dos filmes mais aguardados do ano finalmente foi lançado e pudemos acompanhar sua pré-estreia em primeira mão. Como era de se esperar do diretor Zack Snyder, o filme tem uma abordagem mais profunda e elaborada. Essa mecânica utilizada deixou o filme bastante longo, 2:30,
mas não poderíamos esperar menos de um filme dessa magnitude.

Referências

Como vimos ao longo desses inúmeros teasers e trailers (que por sinal não estragaram a expêriencia), o filme faz referências claras a "Batman - The Dark Knight Returns" de Frank Miller, mas para nossa agradável surpresa, há outras referências. Essa junção de histórias e o modo como elas vão se misturando, evidenciam o grande trabalho feito por Zack Snyder.
Referência a Cavaleiro das Trevas
Não é novidade que no filme teríamos o Flash, Cyborg e Aquaman. Eles fazem parte do enredo e suas apresentações são extremamente sutis e pertinentes. Mais uma vez, fica claro a grandiosidade do universo que a DC está preparando para os próximos anos.

Atuações

Após a redenção de Ryan Reynolds em Deadpool, Ben Affleck ganhou sua oportunidade, de enterrar aquele terrível desastre de 2003 chamado Daredevil. Assim como Reynolds, ele nos mostrou que é merecedor de interpretar um grande herói. Sua interpretação do Cavaleiro das Trevas é excelente e traz um Batman mais sombrio e violento, além de mais maduro. O mesmo acontece com Superman, Henry Cavill traz um herói mais voraz e intenso. A humanidade (cidadãos de Metrópolis) fica dividida entre venerá-lo ou odiá-lo, há uma notável evolução entre o Superman de "Man of Steel" e "Batman vs. Superman".

Outro destaque esta é na atuação de Jesse Eisenberg como Lex Luthor. Mesmo sendo um vilão ainda jovem, Jesse não deixa nada a desejar e nos mostra um Lex com objetivos ainda não bem definidos, apesar de seus planos muito bem arquitetados. Em um filme onde as expectativas estão direcionadas no combate entre heróis, Jesse faz de Luthor um personagem querido por todos.


Entre as mulheres temos duas personagens distintas: Lois Lane (Amy Adams), a mocinha em apuros - embora se mostre bastante independente e forte -, é uma peça chave no decorrer da história. E Diana Prince/Mulher Maravilha (Gal Gadot), a princesa e embaixadora guerreira. Apesar de ter feito um papel excelente, a presença da Mulher Maravilha no filme foi bastante secundária, poderiam ter alguns minutos dedicados à introdução da personagem. Mesmo sendo uma personagem importante, é possível perceber que sem ela nada do enredo seria perdido. Fechando com chave de ouro, temos uma fotografia bem sombria, dando a tensão exata que o filme exige e a trilha sonora intensa, com uma percussão a todo vapor, intensificando as cenas de combate, nos deixam vidrados, com os olhos arregalados e aquele arrepio que só vem quando estamos diante de algo grandioso.

2016 começou excelente para fãs de super-heróis, e "Batman vs Superman - A Origem da Justiça" deixou claro que, SIM a DC sabe fazer filmes bons. Estamos diante de um filme intenso, dramático e cheio de ação, onde heróis à beira do colapso terão que encontrar um caminho para a glória. Podemos dizer que agora a missão da Marvel para os próximos filmes acaba de ficar mais difícil. Como resultado, para nós fãs de super heróis sobrou a "chata" tarefa de aproveitar ao máximo o resultado dessa competição, que tem no público o único vencedor.
Ramon Gorge escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook