Séries

Netflix distribuirá mundialmente drama japonês inspirado em Final Fantasy XIV

Produção contará a relação entre pai e filho através do RPG online da produtora Square Enix e será lançado no fim do ano.


Recentemente, a Netflix adquiriu os direitos de distribuição mundial do drama live-action nipônico Final Fantasy XIV: Daddy Of Light. Se você é um fã da franquia de RPG da Square Enix, ou, mais especificamente, desse MMORPG, e quer lançar fogos de artifício por aí comemorando isso, saiba que a série não é uma adaptação do jogo.

Originalmente denominado Final Fantasy XIV: Hikari no Otousan, que em tradução livre seria Final Fantasy XIV: The Father Of Light, o drama é inspirado em um homônimo blog japonês de 32 postagens entre 2014 e 2016 e centrado numa relação de pai e filho.

O filho deu uma cópia da versão de Playstation 4 e alguns itens in-game (dentro do jogo) para o pai.
Depois que o pai começou a jogar o RPG online, o filho decidiu auxiliá-lo, ajudando online a jornada do pai sem revelar sua verdadeira identidade. Vale notar que a produção também utilizará algumas cenas do jogo, possivelmente para fins ilustrativos de determinadas ocorrências.

Programado para começar no dia 16 de abril na terra do sol nascente, a série possui no elenco Yudai Chiba (Ex-Ranger Vermelho de Tensou Sentai Goseiger, que é o equivalente a Power Rangers: Mega Force e Super Mega Force) e Ren Osugi, respectivamente, como filho e pai.

Cena do seriado. O pai, à esquerda, observa o filho, à direita, jogando o RPG

Segundo o portal Polygon, o trama será disponibilizado no catálogo da Netflix durante a fall season, ou seja, a partir de setembro desse ano.

Gian Luca escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook