Cinema

Critica: Estrelas de cinema nunca morrem e a eternidade dos filmes

Um filme emocionante sobre uma das maiores estrelas do cinema de 1950


O longa conta de forma incrivelmente sensível sobre a amizade e o amor entre Gloria Grahame e o ator Peter Turner, trazendo a tona uma discussão interessante sobre o envelhecimento de grandes estrelas.


Em 1978 uma estrela do cinema e um jovem ator se conhecem e iniciam uma linda história de amor repleta de obstáculos causados pela diferença de idade, uma família problemática e uma doença.
Gloria Grahame (Annette Bening) foi uma grande estrela dos anos 50 e uma figura sem igual no cinema Hollywoodiano, mas principalmente, ela foi uma mulher que viveu todos os momentos plenamente.

Gloria, com seu incrivel talento rendeu papéis em longas memoráveis, como A Felicidade Não se Compra, foi deixada de lado conforme chegava aos últimos anos de sua vida devido sua entrada em um círculo proibido e repleto de tabus que ainda hoje são pouco discutidos.


No final dos anos 70 houve uma grande retomada do conservadorismo, pricipalmente nas artes, para trazer um pouco da glória de antes da crise do petróleo. Este é o contexto em que se passa a história de Estrelas de Cinema Nunca Morrem. Gloria era uma mulher jovial e encantou o jovem ator Peter (Jamie Bell), porém essa onda conservadora acabou por afetar também sua vida.

Os dois atores influenciaram a vida um do outro de forma tão sublime, ele encantado pela antiga estrela de cinema - que apesar de não ter os mesmos papeis da juventude, ainda encantava pelo talento - e ela ganhando um pouco de frescor e lembrando como era ser jovem e se apaixonar.


Uma doença devastadora reúne o casal após um tempo separado. Aquela áurea de estrela que cercava Gloria é deixada e ela tem que encarar a realidade de sua condição e conta com a amizade de Peter em sua luta contra a doença. Este é o momento em que a presença de várias veteranas do cinema, excelentes atrizes, aparecem como figuras familiares de Grahame, onde a importância da história ultrapassa a trama e pensamos naquelas estrelas de cinema que vão se apagando ao longo de sua vida.

A história de amor de Peter e Gloria é também uma história sobre o cinema e o filme tem cenas lindíssimas de metalinguagem e atuações. Falar de Gloria Grahame é falar também da história do cinema e lembrar de grandes atrizes dos filmes em branco e preto.

A Atriz Annette Bening encarnou muitíssimo bem a saudosa atriz, chegando a mudar o tom de voz para o fino e delicado de Gloria e Jamie Bell tem uma das melhores interpretações de sua carreira desde Billy Elliot. Para assistir recomendo que leve lencinhos, a emoção é a chave deste filme. Um filme perfeito para os amantes do cinema.

Ficha Técnica


Nome: Estrelas de Cinema Nunca Morrem
Nome Original: Stars Don’t Die in Liverpool
Origem: Reino Unido
Ano de produção: 2018
Lançamento: 26 de Abril de 2018
Gênero: Drama, Romance
Classificação: 14 anos
Direção: Paul McGuigan (I)
Elenco: Annette Bening, Jamie Bell, Julie Walters, Vanessa Redgrave, Frances Barber, Isabella Laughland, James Bloor, Kenneth Cranham, Leanne Best, Stephen Graham, Suzanne Bertish
Lais Tigre escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook