Séries

Prolongamento de séries: necessidade ou futilidade?

Até que ponto uma série pode continuar?


A necessidade, ou melhor a inutilidade, de prolongar algo, seja um filme ou uma série, só porque fez sucesso, é um problema que vem perturbando fãs deste tipo de conteúdo.


É claro que as produtoras de séries são acima de tudo empresas, e é natural que uma empresa vise o lucro, a questão não é essa, o problema é que a sede de lucro está superando a necessidade de qualidade. Seja um filme ou uma série se esse faz um sucesso considerável surge do nada a "obrigação" de se fazer uma continuação. E os argumentos para isso são sempre os mesmos: "Não, é que vocês só viram o ponto de vista desse personagem, falta verem o daquele outro", "Não, mas vocês precisam saber a história do passado desse personagem". E não, NÃO precisamos de todas as respostas, não precisamos ser tratados como ignorantes incapazes de fazer algumas deduções e tirarmos nossas próprias conclusões sobre esses assuntos. Mas acima de tudo, não precisamos ter que assistir mais 10 episódios de uma série para saber de uma coisa que poderia ser contada em um flashback, ou simplesmente para confirmar o que já se tinha dito antes.

É como se os programas virassem laranjas das quais é preciso sugar tudo até restar somente o bagaço. O mais recente caso que tivemos foi o de 13 Reasons Why, a série que é baseada em um livro de mesmo nome do autor Jay Asher teve sua primeira temporada exibida em 2017 e fez bastante sucesso, porém mesmo a história do autor tendo sido encerrada ali, naquela única e completa temporada, os produtores resolveram fazer mais uma, que acabou com a boa fama da série. Uma temporada que, além de ter sido ruim por si mesma, ainda ofusca o sucesso da anterior.


Um outro caso é a série espanhola La Casa de Papel, que foi concebida originalmente para ser só uma temporada, belamente concluída, porém ao vir para o Brasil foi dividida em duas partes, até aí tudo bem, pois só se quebrou a dinâmica dos episódios, mas o conteúdo era o mesmo. Porém devido ao estrondoso sucesso da série surgiu do nada carência de falar de como a vida dos personagens ficou depois do roubo, resultado: vem aí mais uma temporada, olha que beleza!


O que dá medo para os fãs é que essas séries acabem virando aquele tipo de série que parece não ter fim, como é o caso da série Grey's Anatomy que já está em sua décima quarta temporada, que já tem seus 317 episódios. Uma série desse tipo não costuma atrair novos fãs, pois eles se sentem intimidados pelo número de episódios, sendo assim elas continuam com os que começaram a acompanhar desde muito tempo, ou os raros fortes que se aventuram.


Concluindo, essa é uma questão que merece ser discutida para que as empresas percebam seus erros e priorizem mais a qualidade de seus programas ao invés de meramente seus bolsos. Existem tantas novas histórias para serem exploradas, por que insistir em atrapalhar uma que já está concluída?...

Mateus de Morais Torres escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook