Cinema

Crítica: Crô em família um filme para todos os públicos

Crô em família traz mais participações que filme

Ainda que esteja investindo em diferentes gêneros e trazendo roteiros mais complexos para o cinema nacional, a comedia ainda é o gênero mais explorado e chegou aos cinemas mais um filme com personagem derivado a da televisão. Crô em Família se desamarra das origens televisivas e traz uma nova trama ao personagem, carregado de memes e personagens da cultura popular brasileira.


Tem personagem de novela que fica marcado como ícone, não é mesmo? Quem não se lembra do Jamanta de Torre de Babel, Carminha de Avenida Brasil, Felix de Amor à Vida ou o Crô de Fina Estampa?

Apesar de já ter 7 anos que a novela foi ao ar, muitas pessoas ainda lembram do personagem, que já tinha ganhado um filme em 2013. Esse porém ainda tinha forte ligação com a novela, preservando o personagem de Alexandre Nero e fazendo referência a Thereza Christina.

A trama que chegou aos cinemas não tem ligação com a novela, mas não deixa de ter referências populares entre o público que assiste programas como o Vai Que Cola (Multishow) e as novelas da mesma emissora de onde saiu o Crô. Ferdinando e Dorothy formam com Crô um momento interessante do filme, que poderia ter sido melhor explorado.

O filme trata agora de uma nova fase de Crô. Agora ele é famoso, bombado, e dono da própria escola de etiqueta, mas falta ainda algo para completar a vida de Crô, que se vê sozinho e sem família. Apos um divorcio doloroso ele está carente e vulnerável e acaba ficando à mercê de uma família que surge após a divulgação de uma marca de nascença. Orlando, Marinalva, Luane e Nando, se enfiam na casa de Crô e suas intenções não são das melhores.


Novos personagens são apresentados para fazer parte da vida de Crô. Ao lado das inseparáveis Geni (Jefferson Schroeder), Magda (Mary Sheila) e Jurema (Fabiana Karla) ativa aluna emergente, Crô encontra a família que tanto desejava.

O filme é praticamente um encontro de amigos e um festival de memes de internet com a intenção de atualizar o personagem. Com uma participação de Pabllo Vittar e Preta Gil cantando e muitas figuras com David Brasil, Jojo Maronttinni (Antes Jojo Toddynho) e Baba (Pé na cova).

Diferente de Os Farofeiros (critica aqui) as piadas de Crô em família são mais simples, afim de atrair "o público mais popular" segundo disse o ator Marcelo Serrado. Alcançando também os mais jovens, o longa traz junto uma mensagem reflexiva, mas que fica um tanto ofuscada pelo excesso de participações e jargões da internet.

As atuações mais discretas, no sentido de trazerem um sentimento mais real e menos espalhafatosa como a personagem do Crô, e mais contidas, por não terem piadas em seus textos, de Mel Maia e Rosi Campos são e as duas conseguem atingir o objetivo de tocar o público em seus respectivos papeis na vida de Crô.

 O filme é uma daquelas comédias escrachadas, mas tem uma boa essência e diverte os menos exigentes. Vale conferir para ver as duas atrizes e o novato Jefferson Schroeder em seu primeiro filme fazendo suas já famosas vozes.


Ficha Técnica


Nome: Crô em familia
País: Brasil
Ano de produção: 2017.
Data de estreia: 6 de Setembro
Classificação: 12 anos
Gênero: Comédia.
Direção: Cininha de Paula
Elenco: Marcelo Serrado, Arlete Salles,Tonico Pereira,Rosi Campos, Jefferson Schroeder, João Baldasserini, Fabiana Karla, Marcus Majella Marcos Caruso Luis Miranda, Mary Sheila, Monique Alfradique,Raphael Vianna, Karina Marthin
Lais Tigre escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook