#PowerRangers25 - Dimensões em Perigo, o episódio de aniversário

De que maneira o episódio especial dos heróis coloridos tratou 25 anos de legado? Nós contamos tudo!

Na noite do dia 28 de Agosto, foi ao ar, na Nickelodeon dos EUA, Dimensions In Danger (Dimensões em Perigo, em tradução literal), o episódio de 25 anos de aniversário de Power Rangers. O episódio foi impressionante e é disso que iremos falar hoje. Ou seja, IT'S MORPHIN' TIME!


Assim como de praxe, episódios de aniversário são fechados em si próprios, quase sempre separados da trama geral da temporada em questão. Esse episódio não foi diferente: Lord Draven, inimigo exclusivo do evento, está capturando Rangers de múltiplas dimensões e equipes para formar um exército e dominar o multiverso dos Rangers e, com isso, quebrando a barreira que existe entre eles com a ajuda de Madame Odius, a vilã da temporada.

Os destaques aqui são que, por fim, a Saban estabeleceu oficialmente o multiverso e os conecta, algo que foi introduzido lá em 2012, mas que nunca foi oficializado; a presença de antigos protagonistas é mais natural e justificada quando comparada a Guerra Lendária, que foi o especial de 20 anos da franquia lá atrás em Super Megaforce.

Por ter sido um episódio 100% americano, incluindo os Zords feitos em CGI, ao invés dos brinquedos e fantasias dos Super Sentai, o orçamento deve ter custado o olho da cara para a Saban, mas que valeu muito a pena. Outros fatores que merecem atenção é que eles trouxeram de volta os poderes Zeo e Turbo, os mais renegados da franquia inteira, e o Zord Falcão, que foi o terceiro Zord do Tommy lá da muito distante terceira temporada.

Oi sumido, onde você estava?
Além disso, para quem acompanha a saga dos quadrinhos da BOOM! Studios, especialmente o recém-concluído arco comemorativo Shattered Grid, o episódio faz conexão direta com o que aconteceu na edição 25 (o começo do arco comemorativo) e o objetivo de ambos (Draven e Drakkon) é o mesmo, havendo diferenças quanto ao modo de agir.

Talvez o principal defeito, tecnicamente falando, é que assim como foi com Super Megaforce, a produção tentou compactar tudo em somente um episódio quando o material disponível renderia facilmente uma segunda ou até mesmo terceira parte. Está certo que já foi anunciado uma versão estendida que sairá em DVD e estará na Netflix americana quando a temporada chegar ao fim, mas ainda assim a sensação de pressa persiste.

Sob um ponto de vista de história, quando comparado a Eternamente Vermelho e Uma Vez Ranger, Sempre Ranger, os respectivos especiais de 10 e 15 anos, Dimensões em Perigo ainda se mostrou fraco quanto a presença dos Rangers veteranos. De um grupo de 10, somente Gemma (Li Ming Hu), Koda (Yoshi Sudarso), Wes (Jason Faunt) e Tommy (Jason David Frank) tiveram um tempo de tela significativo e faziam a trama andar, embora os demais tenham recebido uma linha ou outra, o que ainda não é muito. Talvez a versão estendida compense um pouco. Espero.

Protagonista é protagonista, né senhores?
Por falar em Tommy, só para reforçar sua já grande presença na franquia, além de ter um filho com Kat, ele ainda ganhou um brinquedinho novo, o Morfador Mestre, bem parecido com os morfadores da temporada original, mas que permite alternar entre as 5 formas que o personagem teve ao longo desses 25 anos (Might Morphing Verde e Branco, Zeo Vermelho, Dino Trovão Preto e, provavelmente, Turbo vermelho, embora esse último não tenha sido mostrado).

Quem gosta do Tommy, comemora. Quem não gosta, reclama mais ainda, mas temos que admitir: querendo ou não, Jason David é alguém bem engajado na franquia, mais engajado do que qualquer um, ouso dizer, sendo que ele ainda terá sua HQ solo, Soul of the Dragon (A Alma do Dragão, em tradução literal), que será lançada em dezembro e continua os eventos apresentados nesse episódio, e o crossover com Street Fighter que ainda não possui data de lançamento.

Dimensões em Perigo, definitivamente, é um episódio a ser lembrado devido a sua importância para a série, mas que escorrega ao não explorar ainda mais o potencial existente, que era de uma qualidade incrível, apressar as coisas para fazer tudo caber em um episódio de 22 minutos e deixar algumas coisas sem resposta, mas isso é o de menos. Agora nos resta esperar a versão estendida, mas estou satisfeito com o que eu vi. A sua própria maneira, foi épico,

Destaque para a explosão que não foi em CGI, como normalmente é.
Gian Luca escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook