Cinema

Crítica: A Barraca do Beijo – filme adolescente inspirado em livro do Wattpad

A barraca do beijo, Joey King e Joel Courtney, é uma comédia romântica adolescente da Netflix é baseada em livro young adult que foi publicado no Wattpad



A Barraca do Beijo é uma comédia romântica adolescente que estreou no Netflix em 11 de maio. A história é baseada num livro young adult que foi publicado no Wattpad, uma plataforma online gratuita onde escritores publicam seus livros, quando a escritora Beth Reekles tinha apenas 15 anos.


Participo de um grupo de escritores de Wattpad no Facebook, no qual diversos aspirantes a John Green divulgam seus livros e trocam experiências. No qual, um dos posts mais comentados do grupo foi sobre o filme baseado numa história publicada na plataforma pela Netflix. Onde vários deles comentavam como seria incrível se uma de suas histórias também virasse filme. Por causa disso, a curiosidade dentro de mim despertou, então eu assisti o filme para entender a causa de tamanho alarde.
O primeiro beijo de Elle, Joey King, vira um romance proibido com o cara mais gato da escola, Jacob Elord, mas acaba colocando em risco a relação com seu melhor amigo Lee, Joel Courtney. – sinopse by Netflix 

Não queria falar de clichês, mas...


A Barraca do Beijo é uma aula de como criar uma história padrãozinha romance adolescente, young adult como chama nos EUA. Todos os estereótipos desse gênero literário estão presentes: a mocinha normal, inteligente e invisível; o melhor amigo desde do berço;

Aqui vou abrir um adendo. As mães de Elle e Lee engravidaram a mesma época, até ai tudo normal, pois acontece. Agora ambas parirem o filho no mesmo dia com uma diferença de alguns minutos é muito fantasioso para engolir. Uma vez que cada gravidez é única, já que somos seres diferentes. O que é subestimar a minha inteligência, porém é preciso lembrar que foi uma garota de 15 anos que escreveu, né?

Continuando com os nossos clichês literários: o jogador gato e desejado por todos; as garotas populares; a mãe compreensiva e amiga; o pai que perdeu a esposa e precisa criar os filhos sozinho; a menina que perdeu a mãe; entre outros que não estou mais a fim de listar.

Temos presença da rainha dos filmes adolescente dos anos 1980, Molly Ringwald, interpretando a matriarca da família, Flynn. Confesso que vê-la me fez sentir que assistia uma reprise da sessão da tarde.


Falando sobre amizade


A barraca do beijo é uma atividade criada por Lee, e Elle para uma festa da escola, bastante importante para desenvolvimento da história, já que parte da narrativa começa a se desenrolar por causa dela.
No filme, Elle e Lee são amigos que ainda crianças criam uma lista de regras, tipo um contrato de amizade, que não pode ser quebrado. Entretanto, ao se apaixonar por Noah, o cara mais gato da escola com problemas para controlar a raiva, Elle rompe o contrato e prejudica sua amizade com Lee, Joel Courtney.
Contudo, já no começo, a gente percebe que Elle, Joey King, tem um crush por Noah, por isso é só sentar e esperar pelo pior. Que acontece, é claro.
Assim como, apesar de serem lindinhos juntos, a gente não consegue shipar o casal Elle e Lee. Visto que é visível que o filme não vai contar essa história de amor.
Enfim, achei o filme A barraca do beijo bem fraquinho, dado que espera bem mais dele, depois dos diversos comentários que li.


Ficha técnica


Nome: A Barraca do Beijo
Nome original:  The Kissing Booth
País: Reino Unido
Data de estréia: 11 de maio de 2018 na Netflix
Gênero: Comédia Romântica, Filme adolescente, Romance
Classificação: 12 anos
Duração: 105 minutos
Distribuidora: Netflix
Direção: Vince Marcello
Elenco: Joey King, Joel Courtney, Jacob Elordi, Molly Ringwald, Meganne Young e Morne Visser

Karina E. da Costa escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook