Séries

#VoltronFinalBattle - Lance McClain: antes e agora

Revisitando a formação original de Voltron e como todos eles mudaram nessas 7 temporadas


Arrogante. Egoísta. Mulherengo. Altruísta. Gentil. Inseguro. Digno de confiança. Nem parece que essas características tão contraditórias são da mesma pessoa. Ao longo desses últimos dois anos, Lance mudou. Com a estreia da 8ª e última temporada de Voltron Legendary Defender (Netflix) marcada para 14 de Dezembro, é uma boa oportunidade para ver o que mudou no atual vice-líder da equipe.


Introdução, as 2 primeiras temporadas...

Nome: Lance McClain
Dublador: Jeremy Shada (EUA) / Fabrício Vila Verde (Brasil)
Aniversário: 29 de Julho
Ocupação Atual: Paladino Azul - Piloto do Leão Vermelho - 2º no comando
Histórico: Ex-cadete de piloto de carga e de caça da Patrulha Galáctica (Galactic Garrison) e, até a premiere da terceira temporada, piloto do Leão Azul
De origem cubana, próximo da região da Praia de Varadero, é o mais novo de 4 irmãos, tem dois sobrinhos, estava na mesma turma de cadetes mirins que o Hunk, James e o Keith. Foi promovido de cadete de piloto de carga para piloto de caça depois que o Keith foi expulso da Garrison.

Seus melhores amigos são Hunk (Engenheiro) e Pidge (Oficial de Comunicações), ele sempre viu o Shiro como herói e nutriu uma rivalidade não correspondida com o Keith, rivalidade essa que levou os 5 a se reunirem.

Sua personalidade de mulherengo é bem marcante (irritante até), sendo que a primeira coisa que ele faz ao encontrar uma Princesa Allura confusa depois de um sono de 10 mil anos é flertar com ela e dizer "Eu sou o Lance e você está nos braços.", comportamento frequente ao longo dos primeiros 26 episódios.

Culpem o cara da extrema direita por toda essa bagunça

Sua ingenuidade, que caminha junto com sua ignorância, são bem chamativas, já que ele não hesita em fazer piadas em momentos mais sérios, traçar comentários sobre esperar desfiles, reconhecimento e coisas do tipo vindos de cada planeta que a equipe ajuda e, constantemente, provocar o Keith em sua totalidade.

Definitivamente ele era uma pessoa complicada para convivência, apesar de ser caridoso com todos quando não estava sendo um chato, e apresentar recorrentes dúvidas sobre sua presença na equipe,  autorreferindo-se como uma sétima roda, a reserva da reserva da reserva. Talvez seja por isso que ele seja assim tão chamativo.

...e a jornada para a MATURIDADE

Quando o Shiro desapareceu depois da batalha com o Zarkon no final da segunda temporada, foi uma oportunidade pro Lance saciar seu desejo por protagonismo ao se tornar líder da equipe, mas, graças a Deus e o Leão Negro, o que aconteceu foi exatamente o contrário.

Keith acabou se tornando o líder e, ao invés de argumentar contra essa decisão, ele foi o primeiro a dar suporte quando o então Paladino Vermelho não queria assumir tal responsabilidade, o primeiro passo rumo a uma amizade, respeito mútuo e co-liderança do Voltron que ficou mais evidente agora na 7ª temporada.
"Keith, ninguém pode substituir o Shiro, mas o Leão Negro não escolheria alguém incapaz de liderar o Voltron. Eu respeito a escolha dele. E você deveria respeitar também."

Lance para Keith (3x02 - Red Paladin)
No mesmo episódio, também foi mostrado as primeiras mudanças internas. Quando Lance duvidou da própria capacidade de estar presente na equipe depois do Leão Azul bloquear seu acesso, o Leão Vermelho (antigo leão do Keith) o escolheu como novo braço direito (aí que orgulho).
"Meu pai construiu Voltron, mas ele sabia que Zarkon era um melhor líder em batalha, então ele se tornou seu braço direito. Lance, quando você aceitou Keith como o novo líder do Voltron, isso provou que você valoriza uma equipe forte mais do que suas próprias necessidades de glória, assim como meu pai."

Allura para Lance (3x02 - Red Paladin)
A partir daí o Paladino Azul substituiu sua personalidade de outrora por alguém mais digno de confiança, chegando a  liderar o time na ausência e a pedido do próprio Keith (que já se usou como isca para o Lance ter um tiro mais certeiro), e mais disposto a abertamente se sacrificar para salvar alguém (vide Coran na temporada 1, Allura na 6 e sua irmã Veronica na 7)...

A relação do Lance com a Allura também mudou da 4ª temporada em diante

...e mais gentil com a Allura, que também passou a vê-lo com outros olhos. As cantadas deram lugar ao suporte. As caras de estranheza e desprezo deram lugar ao respeito mútuo, um sendo a âncora emocional do outro, um forçando o outro para crescerem juntos e, como visto na 6ª e 7ª temporada, talvez eles se tornem alguma coisa nessa temporada final.

Detalhe: todo mundo tem uma bayard, acessório que manifesta as armas dos "rangers", e, como a princesa alteana apontou lá no piloto, ela reflete a personalidade de seus donos. Adivinha quem desbloqueou o maior número de modos durante a série toda (uma arma de médio alcance, um rifle de longo alcance e uma espada), hein?

Parecer

Foi fácil para me identificar com o Lance, principalmente nessa sua versão 2.0, porque ver ele crescendo me lembrou de como foi eu me ver amadurecendo (eu era uma pessoa bem chata uns três anos atrás), e a escolha do roteiro por uma evolução gradativa por toda a série foi muito acertada para estabelecer o equilíbrio entre suas personas.

Você pode até não gostar dele, mas não pode negar que o roteiro fez um ótimo trabalho com o personagem e eu tô ansioso para ver o que essa temporada final reservou para ele.

Vou sentir sua falta, sharpshooter.
Gian Luca escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook