AnimesCinemaLivrosQuadrinhos

Recomendações: The Flash, Yu Yu Hakusho, Lanterna Verde, Operação Big Hero, House of Cards e mais

Direto do Arquivo GameBlast (16/10/15) : Férias! Época de pegar aquela pilha de jogos inacabados e tentar diminuí-la. Nesse mês de janeiro... (por Sérgio Estrella em 16/01/2015, via GeekBlast)

Direto do Arquivo GameBlast (16/10/15): Férias! Época de pegar aquela pilha de jogos inacabados e tentar diminuí-la. Nesse mês de janeiro, acabadas as promoções de fim de ano e inúmeras festas, é o momento mais que oportuno para zerar algumas coisas e tirar a poeira de alguns consoles.


Mas não se vive só de videogames, não é? Não duvido que muitos aqui poderiam facilmente passar as férias inteiras apenas jogando — eu mesmo já fiz isso inúmeras vezes — mas há várias outras atividades divertidas para se fazer nesse período. Nós, da redação GameBlast, selecionamos algumas de nossas séries, livros, animações, filmes e quadrinhos favoritos para ajudá-los a “desintoxicar” um pouco do ano cheio de jogos que tivemos em 2014.

Lucas Pinheiro Silva

2015 será um grande ano para os fãs de ficção científica, com o lançamento de Star Wars: Episódio VII - O Despertar da Força. Mas para que esperar até dezembro (se é que vão manter essa data)? Você pode ler a melhor história de Ópera Espacial de todos os tempos agora mesmo: Saga, um maravilhoso quadrinho de Brian K. Vaughan (escritor dos também excelentes Y: The Last Man e Ex Machina).

A história é uma mistura mirabolante de ficção científica, fantasia, romance, drama familiar e pornografia, tocando em assuntos como guerra, preconceito, luta de classes, drogas, censura e muitos outros, com uma pitada de Romeo e Julieta para acompanhar. O mais incrível? Dá certo. Dá muito certo. É surpreendente como Vaughan consegue criar alguns dos personagens mais verossímeis e carismáticos que já vi, mesmo num ambiente tão bizarro.

Para completar, a arte é sensacional. Fiona Staples é uma ilustradora e letrista extremamente talentosa, criando cenários e personagens únicos, coloridos, detalhados e criativos.

O quadrinho, lançado em março de 2012, tem 24 edições até o momento, com uma nova saindo todo mês.

João Pedro Meireles

Não é novidade para ninguém que as HQs estão ficando cada vez mais populares e, portanto, estão invadindo cada vez mais outras formas de entretenimento, como filmes e jogos. Pegando carona nessa onda de popularidade tivemos nos últimos anos grandes estreias de séries sobre nossos heróis favoritos, como Arrow (inspirada no arqueiro verde Oliver Queen) e Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D. (inspirada na famosa agência de inteligência do mundo da Marvel). E, para a grata surpresa de nós, fãs de quadrinhos, ambas mostraram uma qualidade acima da média, se tornando inclusive, pilares para uma enxurrada de novas séries inspiradas em HQs (como Constantine, Agent Carter, Gotham e a futura série do Demolidor).

Uma dessas, entretanto, parece ter superado todas as outras e hoje desponta como o principal expoente, não só em qualidade mas também em audiência, da retratação das HQs nas telinhas: The Flash. Com uma história consistente e diversos easter eggs do universo da DC Comics, a série inspirada no velocista escarlate está superando até as mais otimistas expectativas. Desde a inclusão de vilões homônimos do mundo do Flash, até a consistente atuação de Grant Gustin no papel do melhor velocista de todos: Barry Allen, tudo parece estar dando certo para a nova série da CW. Alie tudo isso com eventuais participações de Oliver Queen, protagonista da série “pai” de The Flash, Arrow, e um grande mistério que é conduzido de forma brilhante a cada final de episódio e “voilà”: temos a melhor surpresa televisiva do ano de 2014.


Gilson Peres Tosta

Gosta de ler um bom livro? É amante da cultura pop e nerd? Que tal mergulhar em um dos universos mais famosos e que estará em alta esse ano?

Estou falando aqui da franquia Star Wars! Esse ano, como o Lucas Pinheiro comentou há pouco, será lançado o tão esperado sétimo longa da guerra nas estrelas, porém ele só chegará em dezembro e isso deixa muitos fãs aflitos. Mas fiquem calmos! Uma boa pedida para matar a saudade de Luke, Leia e Han Solo é o livro Star Wars - O Herdeiro do Império, de Timothy Zahn. O livro, primeira parte de uma trilogia, começa sua história 5 anos após a morte de Darth Vader em “O Retorno de Jedi”, quando uma resistência do Império Galático comandada pelo sinistro Almirante Thrawn ameaça a recém-formada Nova República. É como ver um novo filme da saga em sua cabeça, altamente recomendado para fãs!

Fellipe Camarossi

É certo: quando não estou jogando ou escrevendo, estou ouvindo música. Aliás, é mais do que comum que eu jogue ou escreva enquanto escuto música. Como um dos meus hobbies é justamente tocar e compor, vejo a música como parte da minha vida, e é por isso que trilhas sonoras de games sempre me chamam a atenção numa jogatina.

Também não é segredo pra ninguém que eu amo The World Ends With You (DS/iOS), visto que escrevi toda minha história com o jogo no Nintendo Blast. Um dos motivos dessa paixão é a trilha sonora excêntrica e ousada do game, que vai do Hip-Hop ao J-Rock de forma natural e gostosa. Céus, o jogo foca tanto em música que um dos arcos principais do game envolve a banda fictícia Def Märch. Com foco nisso, uma banda real foi formada a partir dos responsáveis dessa trilha sonora, e adivinhem: ela ganhou um nome inspirada na banda do game, sendo batizada The Death March.



O primeiro álbum foi lançado no ano passado, recebendo o mesmo nome da banda. Nele temos uma série de músicas da trilha de The World Ends With You, bem como de diversos Final Fantasy (como Dissidia 012Before Crisis e Type-0). Vale a pena ouvir se você é fã de trilhas sonoras, de rock, de eletrônica ou se simplesmente curte uma boa música. Tomei a liberdade de montar uma playlist com as músicas desse álbum no SoundCloud, então fiquem a vontade para ver se curtem. Se aprovarem, podem adquirir o álbum no iTunes por US$ 12,99. Não sei pra vocês, mas pra mim parece um preço justo para uma obra de arte como essa.

Italo Chianca

2015 já chegou e muita gente tem se preocupado com o que fazer de novo neste ano. E como não vivemos apenas de videogames, é preciso buscar diversão em outras mídias. Pensando nisso, separamos uma bela dica para você já iniciar bem o seu ano. Que tal começar com algo clássico e renovado? Se você é fã da série Yu Yu Hakusho, e por acaso andou meio afastado do nosso detetive espiritual nos últimos anos, é a sua chance de encarar, mais uma vez, as aventuras de Yusuke Urameshi e seus amigos com o relançamento do mangá da série.

Anunciado em março durante o Henshin+ 2014, o clássico mangá de Yoshihiro Togashi, Yu Yu Hakusho, teve seu grande retorno às bancas brasileiras em 2014. Seguindo o padrão do que já foi feito com outras séries de destaque publicadas pela Editora JBC em seus primeiros anos, o mangá recebeu uma atualização. Publicado em formato tankobon, com o dobro do número de páginas por edição de sua versão anterior.

O texto do mangá foi totalmente revisado e readaptado, adequando-o aos novos padrões da editora e da nova norma ortográfica, mas ao mesmo tempo, levando em conta termos clássicos e adorados por fãs, tanto da primeira versão do mangá, como das adaptações feitas pela versão brasileira do anime. A nova edição do mangá será completa em 19 volumes, em papel offset, formato 13,05cm x 20,5cm, com preço de R$14,90 e distribuição nacional (tem até opção de assinatura). Desde outubro já é possível encontrar o mangá nas bancas de todo o Brasil. Se ainda não começou a ler, corra e garanta sua diversão durante o ano inteiro, ao lado de YusukeHieiKuwabara e Kurama.

Gabriel Simonetti de Oliveira

Até mesmo um relógio quebrado está certo duas vezes por dia. Embora ultimamente os quadrinhos de super-heróis da DC Comics estejam muito aquém da qualidade que já apresentaram (cof cof, Novos 52, cof cof), um título em específico se destaca dos demais pelas histórias simples mas muito divertidas, com muito desenvolvimento de personagens e momentos marcantes: são as histórias do Lanterna Verde. E a minha primeira recomendação é o encadernado Lanterna Verde: Origem Secreta.

Origem Secreta é a versão atualizada pelo renomado roteirista Geoff Johns, da história do maior Lanterna Verde de todos os tempos, Hal Jordan. É o ponto de partida para as fascinantes histórias da Tropa dos Lanternas Verdes, embora o foco deste título seja principalmente em Hal. O encadernado faz um retcon da origem do herói, contando sua infância, o momento em que se tornou um Lanterna, seu treinamento e suas primeiras batalhas como o Gladiador Esmeralda. Além disso, acrescenta detalhes condizentes com a nova mitologia dos Lanternas, criada por Geoff a partir de 2007.

Origem Secreta é o primeiro dos vários encadernados do Lanterna Verde lançados pela Panini, mas infelizmente ele está indisponível nas maiores lojas brasileiras, e no momento só pode ser adquirido digitalmente. Mesmo assim, vale a pena como o ponto de partida para uma das melhores séries de super-heróis disponível no mercado.

Ailton Bueno

Uma das melhores coisas que foram lançadas no Brasil, e talvez no mundo, foi o Netflix. Isso é inegável. E com o serviço vieram as suas séries originais. Hoje vou recomendar uma das melhores já produzidas até hoje: House of Cards. Série estrelada pelo astro de Hollywood Kevin Spacey, que acabou de ganhar seu primeiro Globo de Ouro depois de 8 indicações, por sua atuação como Frank Underwood, o sedento personagem principal do seriado.

O seriado House of Cards tem como tema principal a briga pelo poder político dos Estados Unidos. O seriado segue o já citado Frank Underwood, que em vários momentos “conversa” com o telespectador, e isso, acredite, faz toda a diferença, pois ficamos sabendo o que o Frank está pensando, tal qual ocorre em um livro.

O seriado nos mostra todo o lado podre da política dos EUA, que pode ser facilmente comparada com a praticada aqui no Brasil por nossos parlamentares, e isso já faz o show valer a pena. Com atuações memoráveis de todos os envolvidos e uma direção bem conduzida, principalmente por ter David Fincher por detrás da produção. O show recebeu diversas indicações aos mais variados prêmios, tais quais como o Emmy, o Globo de Ouro e diversos outros.

House of Cards é um dos melhores seriados já criados até hoje e vale muito a pena ser assistido. A Netflix disponibiliza uma vez por ano uma temporada completa do seriado, sempre nos meses de fevereiro. Com duas ótimas temporadas já disponíveis, a 3° será disponibilizada dia 27 de fevereiro no serviço de streaming. Dito isso, se entorpeça com a trama de Frank Underwood.

Robson Júnior

Sou suspeito quando se trata de animações da Disney; desde criança tenho admirado as produções de seus estúdios. Apesar das críticas aos clichês de seus filmes, sempre pude absorver lições de moral novas em cada um de seus curta ou longa metragens. Eis que no cinema local estreia uma nova animação, primeira da Disney inspirada nos quadrinhos da Marvel.

Misto de fantasia e comédia, Operação Big Hero conta a história de um gênio mirim da robótica que forma um time de super-heróis quando surge uma ameaça na futurística cidade de San Fransokyo. Apesar disso, o foco e a moral do filme não está no heroísmo, e sim nos sentimentos do jovem nerd e na sua perspectiva de superação após as situações adversas pelas quais passa durante o desenrolar da metragem.

O filme foi muito bem recebido pela crítica, inclusive indicado ao Globo de Ouro de Melhor Animação e recentemente ao Oscar na mesma categoria. Além disso, traz um divertido e inspirador curta antes do filme propriamente dito, O Banquete, que já vale o ingresso de cinema.

E então, Blaster? Achou algo interessante? Já está acompanhando alguma série ou livro? Tem alguma recomendação para os leitores? Comente abaixo com suas opiniões e sugestões!

Revisão: Marcos Silveira
Capa: Daniel Silva
Sérgio Estrella é o criador do GeekBlast e está escrevendo, moderando, administrando e tantos mais 'andos' por aqui desde 2008, mas ainda tem muito o que aprender. Pode ser encontrado no Facebook, Twitter e Google+.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook