Cinema

Crítica: A Garota Dinamarquesa ou até onde você vai por amor

Com grande atuação, drama conta história de transexual da década de 1920.

Eddie Redmayne, vencedor do Oscar 2015 de melhor ator pelo filme A Teoria de Tudo (The Theory of Everything), faz mais uma atuação brilhante em A Garota Dinamarquesa, ao interpretar Lili Elbe, uma das primeiras transexuais à realizar uma operação de mudança de sexo. O filme traz também no elenco Alicia Vikander, indicada ao prêmio da academia deste ano como melhor atriz coadjuvante por seu papel em Ex-Machina: Instinto Artificial, como Gerda Wegener.

A Garota Dinamarquesa conta a história do pintor dinamarquês Einar Wegener (Eddie Redmayne), casado com Gerda Wegener (Alicia Vikander). Einar sempre se identificou com o universo feminino de forma discreta. Após realizar um pedido de posar com roupa feminina para um quadro de sua esposa, seus instintos começam a aflorar. À princípio sua esposa acha tudo engraçado e resolve entrar na brincadeira. No entanto, com passar do tempo, Einar aos poucos vai desaparecendo para dar lugar à Lili.
Eddie Redmayne mostra suas qualidades ao encarnar Lili Elbe

O filme, dirigido por Tom Hooper, vencedor do Oscar de melhor diretor pelo filme O Discurso do Rei de 2011, tem um roteiro bem elaborado que não deixa ver pontas soltas, um figurino bem trabalhado dos anos 1920 auge do Art Déco - daí sua indicação ao Oscar pela categoria. As atuações são convincentes e, em alguns momentos, Alicia sobrepõe Redmayne.

Redmayne é um ator que, apesar da pouca idade, se equipara com Jared Leto, Christian Bale e muitos outros grandes nomes do cinema quando falamos em se entregar ao personagem. A profundidade dos sentimentos que Lili transmite é bem visível e o espectador consegue sentir o drama vivido pelo personagem. Pena que não consiga superar sua atuação como Stephen Hawking, papel que lhe rendeu o prêmio de melhor ator em 2015.

Poder Feminino

As mulheres têm sido muito presentes nas telas hoje em dia, seja em grandes franquias como Star Wars e Mad Max, ou filmes mais baixo custo como O Quarto de Jack e, em A Garota Dinamarquesa, não poderia ser diferente. Apesar do foco principal do filme ser a transformação de Einar em Lili, quem rouba a cena é Gerda. Ela é a mulher que luta para manter o casamento, motivada pelo amor que sente por Einar. O que começa como uma brincadeira para descontrair e apimentar a relação do casal acaba se tornando o maior drama vivido pela personagem, após Einar se deixar levar e beijar um homem.

Embora sua relação com seu marido se tornar somente uma amizade, Gerda faz de Lili sua alavanca para o sucesso exibindo suas obras em Paris. É na capital francesa que ela fica sabendo de um médico com um método revolucionário para "resolver o problema" de Einar: uma mudança de sexo. Gerda mostra mais uma vez a força da mulher ao optar ficar do lado de seu ex-companheiro, mesmo quando este diz para ela seguir em frente e esquecê-lo.

A força que Gerda demonstra em todo o filme é um exemplo que pode-se ver hoje em dia em muitas mulheres seja em filmes, séries ou no dia-a-dia.
Alicia Vikander brilhou tanto que é uma das favoritas ao Oscar de melhor atriz coadjuvante

Um filme para representar o público LGBT

A temática LGBT está cada vez mais crescente nos filmes e entre as premiações, incluindo o Oscar. Sean Penn ganhou a estatueta de melhor ator em 2008 por Milk: A Voz da Igualdade; Jared Leto venceu o prêmio da academia como melhor ator coadjuvante em 2014, por Clube de Compras Dallas; e em 2015 foi a vez de Benedict Cumberbatch concorrer como melhor ator pelo filme O Jogo da Imitação - e perdeu para Redmayne como Stephen Hawkins. O Brasil quase participou em 2015 com Hoje Eu Quero Voltar Sozinho como melhor filme estrangeiro. Neste ano há dois filmes de peso que disputam prêmios importantes: Carol, que rendeu a indicação ao prêmio de melhor atriz para Cate Blanchet; e A Garota Dinamarquesa com Eddie Redmayne.

É uma grande conquista para a comunidade LGBT, com personagens importantes de sua luta por igualdade sendo lembrados e representados constantemente. Isso mostra que a sociedade está em um período de transição e cada vez mais o ser humano se adapta às mudanças,

A Garota Dinamarquesa é um filme que vale a pena conferir, são duas horas de filme que valem o ingresso de cinema.

Fabio Camilo é bacharel em Comunicação Social com especialização em Rádio, TV e Vídeo, roteirista, poeta, viciado/apaixonado por filmes, séries e quadrinhos, cansado de esperar pela carta de Hogwarts, agora treina para ser um sith ou uma chance de ser chamado para Hollywood.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook