Cinema

Crítica: Procurando Dory - Um filme que reforça os laços de amizade

Continuação da animação Procurando Nemo chega aos cinemas após 13 anos


Animação, geralmente é o tipo de filme que você pensa em levar crianças, eis que nos é informado uma "continuação" de Procurando Nemo (2003), que ganhou o título de "Procurando Dory" (Finding Dory), do diretor Andrew Stanton. Quem não se apaixonou pela peixinha azul, atrapalhada que sofre de perda de memória recente? Então, crianças, estamos esperando há 13 anos, deixem os adultos assumirem o cinema na estreia. 

Logo no início, conhecemos a origem da Dory, afinal, como ela foi parar no meio do oceano sozinha? Quem gosta de chorar, com certeza vai se emocionar com a trajetória dela até o encontro com Marlin em Procurando Nemo.

Um ano após cruzarem o oceano, Dory (Ellen Degeneres), Marlin (Albert Brooks) e Nemo (Hayden Rolence), embarcam em uma nova aventura à procura da família da Dory. Nossa peixinha azul, tem um vislumbre do passado, colocando em sua cabeça a certeza que tem uma família, e que eles esperam por ela, começa então uma busca, onde o único guia é a saudade e a positivismo da nossa esquecidinha.

Dory, Marlin e Nemo


Mais uma vez no oceano, e Dory desaparece, surgindo a partir daí o título: Procurando Dory...
Guiada pelo instinto, vislumbres do passado que vão aparecendo em sua memória, e com a ajuda do polvo Hank (Ed O'neil, dublado no Brasil por Antônio Tabet), da tubarão-baleia Destiny e da baleia branca Bailey, Dory vai superando suas limitações. Em contrapartida, Marlin e Nemo, lidam com as surpresas que aparecem no caminho, tudo isso para achar Dory.

Dory e Hank

Um filme para toda a família

Quando sobe a famosa música na sala do cinema do selo Disney e Pixar, você já fica na ansiedade o que será apresentado de novo e diferente do habitual em seus filmes, principalmente em uma continuação direta de um filme que acumulou diversos fãs pelo mundo.

Eis que a Pixar apresenta algo surpreendente novamente, não repetindo erros comuns em continuações apresentadas em outros filmes do gênero de animação, e a grande diferença nesse filme são os próprios personagens que não perdem suas características que ficaram marcadas desde o primeiro filme e também a inclusão de personagens novos com características diferentes das quais já estávamos habituados.
Dory, Destiny e Bailey

Procurando Dory, vai além de ser mais uma animação, é um filme educativo, com lição de moral, principalmente para os adultos. Questões ambientais como a poluição do mares, as consequências que isso traz para a vida marinha, e a importância da preservação das espécies, são alguns dos temas abordados no filme.

No final, o filme cumpre com a sua proposta, prender atenção tanto de crianças como adultos, graças ao carisma existente em seus personagens, e também com a Pixar deixando claro que deveríamos cuidar melhor do nosso meio ambiente. Não podemos esquecer de citar a evolução dos personagens principais, Dory, Marlin e Nemo onde a confiança que um depósita no outro é apresentada praticamente o tempo todo.

E o que aprendemos com Dory? Falar "baleiês", que sempre tem uma solução, que devemos seguir nossos instintos, lidar com nossos problemas e limitações com jogo de cintura, confiar nos amigos, e sobretudo, acreditar que nós podemos tudo.

Não perca essa aventura colorida, educativa, engraçada, e que fará você repensar suas atitudes. A fotografia do filme chama a atenção das crianças, mas a complexidade do roteiro é direcionada para nós adultos.
Então graças a Dory, mais uma vez o filme é  feito para a família se reunir e curtir um cinema juntos.
E não esqueça: Continue a nadar, continue a nadar.... 

Colaboração: Guilherme Augusto
Polly Wannele é nordestina, arquiteta, viajante, cinéfila, leitora e viúva de Han Solo. É uma Jedi, mas todos falam que é uma Sith por ter gênio do capiroto.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook