Cinema

A complexidade pessoal em Avenida (Boulevard), filme póstumo de Robin Williams

Filme chegou ao Brasil neste mês através da Netflix!


Após o suicídio de Robin Williams em 2014, muito especulou-se sobre os três filmes completos que o ator deixou. Alguns apostavam que os filmes não seriam lançados, outros que o ator seria substituído. Já Avenida (Boulevard, no título original) era carta fora do baralho. Muitos acreditavam que o filme não veria a luz do dia, já que a produtora encontrava problemas para captar verbas de lançamento e divulgação do longa-metragem. Contudo, no segundo semestre de 2015, o filme ganhou as telas norte-americanas e agora, em Outubro de 2016, a Netflix trouxe o polêmico filme para o Brasil.
Um filme com Robin Williams normalmente se vende sozinho. Não é necessário grandes investimentos ou procura por parceria. Contudo, o filme é um cult-alternativo de baixo orçamento. A participação de Williams foi de grande destaque, ainda mais se tratando de um longa-metragem de temática gay - outro fator que dificultou a captação de dinheiro para o lançamento.

No filme, Williams interpreta Nolan, um senhor de meia-idade com a vida confortável. Trabalha em um banco no centro da cidade e está prestes a ser promovido a gerente. É casado com Joy (Kathy Baker) e possui amigos de longa data. A vida estável e rotineira parece bastar para Nolan, até ele pegar um desvio para retornar à casa e passa por uma avenida.


A avenida é significativa para o filme, tanto que ganhou o título do filme. Ali, naquele trecho inexplorado da cidade, ela é simbólica: liga um ponto ao outro. Se ali ficar, está em um lugar diferente de sua vida, podendo seguir o caminho para o desconhecido. Se continuar adiante, encontrará o retorno para a vida pacata.


O divisor de águas ocorre quando Nolan resolve deixar seus instintos tomarem conta de seu corpo e fica pela avenida. Ali as tentações carnais estão expostas. Mulheres e drag queens disputam o espaço para conseguir um programa. É neste meio que Nolan encontra Leo (Roberto Aguire), um dos poucos garotos que está na avenida.  Distraído, Nolan quase atropela o rapaz e começa a conversar para pedir desculpas, mas com a chegada da polícia o senhor se vê fugindo da avenida com a companhia do rapaz, já que prostituição poderia levá-lo à cadeia.

Logo no primeiro encontro de Nolan e Leo somos apresentamos a temática diferente. O jovem imagina que está ali para uma noite de sexo e logo tira a roupa. Já Nolan quer apenas alguém para conversar, contar os dramas da vida e ser, pela primeira vez na vida, ele mesmo.

A partir deste momento percebemos a complexidade pessoal de Nolan. Descobrimos que, na verdade, desde cedo ele já sabia de seu desejo por homens, mas pela pressão da sociedade machista e antiquada do passado, nunca deixou aflorar este lado. Pelo contrário: casou-se e seguiu escondendo seu verdadeiro 'eu' através dos anos.


Leo e Nolan se envolvem de formas diferentes. É possível ver o amor crescendo por parte de Nolan, enquanto Leo sente apenas um carinho quase fraternal pelo senhor. Alguns detalhes deixam as intenções de cada um cada vez mais claras.

Ao final do filme somos apresentados a uma dura realidade. O filme não poupa os telespectadores e nem tenta inserir um final feliz. A realidade é tão dolorida quanto a retirada de um band-aid com apenas um puxão sem aviso prévio. Machuca. Assusta. Doí.


Apesar da ideia e história bem estruturada, o filme tem alguns pontos ruins. A duração do filme vai além do que seria o necessário para criar a atmosfera e desenrolar a história. Por esses motivos temos cenas que não agregam nada e nem revelam coisa alguma. Apenas está ali para dar o entendimento do quão tediosa e pacata a vida de Nolan era antes de encontrar Leo. Contudo, uma ou duas cenas dessas serão o suficiente. Ao abusar desse recurso, o filme tem trechos tediosos.

A atuação de Williams dispensa comentários. Brilhante do começo ao fim, o ator nos faz acreditar em cada palavra do personagem. Nos faz acreditar, gostar e até mesmo odiar por ele ser dessa forma complexa. E o melhor: mesmo após tantos papéis, em nenhum momento olhamos e vemos Williams, mas sim algo completamente diferente, sem lembrar de outros papéis memoráveis do ator.

Avenida tem a direção de Dito Montiel e roteiro de Douglas Soesbe. O longa foi adicionado este mês (outubro/2016) na Netflix.
Diego Piovesan escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook