Cinema

Crítica: Logan - The Last of Us com mutantes

Com direção de James Mangold, Logan encerra o ciclo do personagem vivido por Hugh Jackman


Hugh Jackman está de volta com o personagem que tanto o consagrou, Wolverine. O terceiro filme, intitulado Logan, tem previsão de estréia no dia 2 de março de 2017, e é o último filme com o ator encarnando o personagem mais feroz dos X-Men. O GeekBlast foi convidado no último domingo (19 de fevereiro) para conferir o longa.


Na história, em um futuro próximo, um Logan cansado cuida do doente Professor Xavier em um esconderijo na fronteira mexicana. Mas as tentativas do herói canadense para se esconder do mundo e de seu legado são interrompidas com a chegada de uma jovem mutante, perseguida por forças sombrias.
Poster da versão Imax faz homenagem aos filmes da década de 1980

Logan não é um filme sobre super-herói, é sobre consequências. O mesmo adamantium que protege seu corpo, é o que está envenenando e matando o personagem aos poucos. Logan traz uma história diferente de todos os últimos filmes baseados em quadrinhos. Ele não quer ser um herói, só deseja viver em paz e longe de todos. Não quer saber de salvar o mundo como antigamente.  E apresenta uma versão mais jovem de Laura, a X-23 (Dafne Keen). No filme Laura é apresentada como "filha" do Logan, o que acaba dando uma certa motivação para o personagem sair da aposentadoria.

É um road movie que mostra a importância da família, um trio perfeito retratando uma família nada convencional composta por Professor Xavier, Logan e X-23. Logan mostra um carinho de um filho cuidando do pai com o debilitado Professor X ao mesmo tempo em que aprende a ser "pai" da pequena Laura. Em determinados momentos, o longa lembra o jogo The Last of Us, pois Logan está com um visual muito parecido com o de Joel, personagem principal do game, e ainda andando com uma garota esperta.
O conceito "família" sendo aplicado da melhor forma
Referências e mais referências

O começo do filme já mostra o quão debilitado está o personagem em uma cena de violência espetacular, mostrando ao espectador que a produção é bem visceral - homenageando bem o mutante mais famoso dos quadrinhos. Os vilões são os Carniceiros comandados por Donald Pierce (Boyd Holbrook). Aqui, eles são uma especie de agência especial de segurança, como uma tropa de elite.
Os Carniceiros

Os Personagens

Logan não segue a cronologia dos X-Men nos cinemas, sendo totalmente separado do que foi apresentado nos filmes anteriores. Ainda assim, traz de volta Patrick Stewart na pele do Professor Charles Xavier, a única referência à série e até uma homenagem ao personagem vivido pelo ator. Alguns personagens ficaram tão bem na tela que merecem destaque, entre eles:

Professor Xavier

O Professor X envelheceu muito, em uma atuação magnífica de Patrick Stewart

Por mais que James McAvoy seja um bom Professor Xavier, é muito bom ver Patrick Stewart de volta ao papel. Charles Xavier agora é um velho de 90 anos com problemas de saúde como Alzheimer e Esclerose. Devido a isso, ele precisa de medicação para controlar seus poderes telepáticos. Sem os remédios, a mente mais poderosa do mundo pode sofrer convulsões, paralisando e, possivelmente, levando à morte as pessoas nas proximidades.

Laura (X-23)


A pequena Dafne Keen faz uma personagem intensa e carismática, mesmo que fique calada praticamente o tempo todo. Porém, em suas expressões faciais e olhares, a atriz mirim consegue mostrar uma ferocidade que surpreende em tela. Laura adora as HQs dos X-Men e quer chegar a um local chamado Éden (retirado de uma edição do grupo mutante que faz referência ao local), situação que faz Logan falar uma frase que, na minha opinião, foi para dar uma cutucada na Marvel: "Ninguém usa colant para salvar o mundo".

Donald Pierce


Nos quadrinhos, ele era um playboy mimado que sofre um acidente e vira um ciborgue líder dos Carniceiros. No filme, nem ele e nem o grupo são ciborgues assassinos, e sim uma tropa com treinamento militar. Pierce possui apenas um braço biônico e, apesar de tudo, é um vilão carismático que faz o espectador torcer para que sua morte seja a pior possível.

Conclusão

Logan é, sem sombra de dúvidas, o filme definitivo para o personagem que Hugh Jackman interpreta há 17 anos. É violento, sanguinário e, apesar de ter uma criança no elenco, não é recomendado para o público infantil. O diretor James Mangold fez um trabalho digno para a despedida e sem nenhuma ponta solta para uma possível continuação, Hugh Jackman encerra seu ciclo como Wolverine em grande estilo, da forma que os fãs queriam ver há muito tempo.

Ficha Técnica

Nome: Logan
Nome Original: Logan
Origem: EUA
Ano de produção: 2016
Lançamento: 2 de março de 2017
Gênero: Ação, Drama, Ficção Científica
Classificação: 14 anos
Direção: James Mangold
Elenco:   Boyd Holbrook, Dave Davis, Doris Morgado, Elise Neal, Elizabeth Rodriguez, Eriq La Salle, Hugh Jackman, Jaden Francis, Juan Gaspard, Julia Holt, Lauren Gros, Patrick Stewart, Richard E. Grant, Sienna Novikov, Stephen Merchan
Fabio Camilo é bacharel em Comunicação Social com especialização em Rádio, TV e Vídeo, roteirista, poeta, viciado/apaixonado por filmes, séries e quadrinhos, cansado de esperar pela carta de Hogwarts, agora treina para ser um sith ou uma chance de ser chamado para Hollywood.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook