Cinema

Crítica: Tinha Que Ser Ele?- Você já viu este filme antes

Apesar de não trazer nada novo, comédia com James Franco e Brian Craston diverte bastante


Tinha Que Ser Ele? Conta a história de Ned Fleming (Brian Craston), chefe de uma empresa de impressão, que descobre de uma maneira pouco agradável que sua filha está namorando Laird Mayhew (James Franco), um milionário da tecnologia.


Com o objetivo de conhecer seu novo genro, Ned e a família vão passar o Natal na casa de Laird e a partir desta premissa toda história se desenvolve.

Mais do mesmo

A primeira sensação ao começar a assistir ao filme é que você já viu ele inúmeras vezes, pode não lembrar o nome, ou quando viu, mas o filme é um clássico do genêro de comédia onde o pai mais sério e alinhado encontra o namorado da filha desajustado. Dentro disto o filme tenta encontrar personalidade própria, se apoiando bastante no carisma de seus protagonistas e coadjuvantes.

















Ótima química

Um ponto central do filme, e talvez o maior responsável pela qualidade do filme como um todo, é a relação entre Ned Fleming (Bryan Cranston) e Laird Mayhew (James Franco). O choque entre as gerações é mostrado de maneira clara e criativa, gerando uma série de situações cômicas. James Franco repete sua clássica interpretação de comédia mas que funciona muito bem, sendo responsável pela maior parte das cenas cômicas e Brian Cranston mostra mais uma vez sua flexibilidade como ator. Ambos estão impecáveis.



















Inspirações no passado

O nome John Hamburg pode não ser tão conhecido do público em geral, mas o roteirista e diretor é responsável por alguns outros filmes que já exploraram esta mesma temática, como a trilogia Entrando Numa Fria. Sendo assim é possível  encontrar algumas semelhanças entre os filmes.


Coadjuvantes compententes

Dois personagens coadjuvantes se destacam e são responsáveis por diversos alívios cômicos. Kaley Cuoco, conhecida por interpretar a Penny de The Big Bang Theory, interpreta uma espécie de Siri mais avançada que é onipresente dentro da casa de Laird e Keegan-Michael Key como Gustav, um mordomo que é amigo, treinador, conselheiro, sendo um personagem bastante caricato.


Conclusão

Tinha Que Ser Ele? não é um filme genial ou inovador, porém é competente na proposta de trazer o gênero clássico de comédia que se propõe. Com um elenco competente e carismático, acerta na maior parte das piadas, tendo apenas algumas situações em que uma piada é tão repetida que é levada ao desgaste.

Ficha Técnica

Nome: Tinha Que Ser Ele?
Nome Original: Why Him?
Origem: EUA
Ano de produção: 2016
Lançamento: 16 de março de 2017
Gênero: Comédia
Classificação: 12 anos
Direção: John Hamburg
Elenco: James Franco, Bryan Cranston, Megan Mullally

Murilo Henrique Sanches escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook