Séries

Primeiras Impressões: Raven's Home (Disney Channel)

10 anos depois, Raven Baxter e Chelsea Daniels estão de volta. Com alguns filhos pra criar. Bem vindos à Casa da Raven.


Baxter's Back, pals! Dez anos depois da série original That's So Raven (As Visões da Raven aqui no Brasil), Raven-Symoné está de volta às telinhas como a eterna Raven Baxter, que passou de uma adolescente com sonho de ser estilista e o (in)fortúnio poder de prever o futuro para uma mãe divorciada de dois gêmeos vivendo num apartamento em Chicago com sua eterna melhor amiga, também mãe e também divorciada, Chelsea Daniels (Anneliese Van Der Pol). Com tanta gente nessa casa, é claro que as coisas vão dar muito certo #sqn kkkkk.


Como alguém que cresceu assistindo As Visões Da Raven quando passava no SBT (e que canta a letra da abertura no chuveiro até hj), eu fiquei ansioso e apreensivo quanto ao retorno de Raven numa época em que as produções televisivas focam em reboots e revivals de seus shows de sucesso. Também era inegável que eu comparava a série com Fuller House em praticamente tudo. Mas tudo isso foi pros ares quando dei o play no piloto, que estreou na última sexta-feira (21) nos Estados Unidos e segue sem data de estreia no Brasil.



Raven e Chelsea ainda continuam as mesmas do seriado original, o que é ótimo, porque a química que existia/existe entre elas é muito boa e eu realmente não queria que mudassem nada em ambas, principalmente na Chelsea, que continua desastrada como sempre, queimando a comida como sempre, e espero que continue assim.

Booker (Isaac Brows) e Nia (Navia Robinson), os gêmeos da Raven, são o verdadeiro caso de Yin-Yang. Enquanto ele é convencido e mentiroso até demais (Dizer que o Bruno Mars roubou os passos do Justin Timberlake, que roubou os passos dele? That's So Raven.) (Entendedores entenderão), Nia é mais pé no chão, um pouco inconformada com seu irmão ser o preferido da sua mãe, mas, no final, tudo fica bem.



Levi (Jason Maybaum), o filho da Chelsea, foi o que me conquistou mais rapidamente. Quando se tem uma mãe como Chelsea Daniels, alguém tem que assegurar que a mãe faça boas escolhas (parece que o casamento não entrou na lista). Tess (Sky Hatz) teve um tempo de tela menor quando comparado aos demais protagonistas, mas a vizinha da frente que aparenta praticamente viver na casa da Raven (me lembrou Kimmy Gibbler na época de Full House) já conquistou meu coração.

Enfim, não sei o que o futuro reserva, mas, pelo piloto, espero que seja um grande futuro para essa família. No aguardo pelo resto da temporada. Enquanto isso, já vou aprendendo a nova abertura pra cantar junto:


Gian Luca escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook