Cinema

Crítica: Zootopia - A sociedade ilustrada com o selvagem

Uma aventura colorida e cheia de vida, com um apelo à sociedade em que vivemos

Você se lembra de Mulan? O filme da Disney que, mesmo sendo uma animação infantil, trazia um assunto muito importante para ser discutido, e conseguiu fazer sucesso das duas formas? Pois é, conseguiram fazer algo no mesmo nível e que, além de ser uma diversão para o público geral, cai com uma luva no momento atual da nossa sociedade.

Zootopia (2015) é um filme para todos. Engraçado, fofo e bem colorido, o mundo de Zootopia é impecável, com aquela qualidade na animação que a Disney nunca deixa faltar, afinal, animar dezenas de espécies de animais diferentes, considerando principalmente o movimentos dos pêlos, não é fácil. A cidade é viva e fluída, considerando a grande atenção dada aos detalhes de cada espécie, se vê como uma cidade populada por animais antropomórficos realmente seria. É divida em áreas florestais, tundra, cidade, etc. É particularmente interessante a cidade dos roedores, que é diminuta, porém claramente se encaixa no grande cenário.

O enredo segue a coelhinha Judy Hopps, que quer ser policial. Mas coelho, um animal tão pequeno, ser policial? É exatamente esse o tema do filme. Você pode ser o que quiser. Até mesmo uma coelha minúscula que prende rinocerentes enormes. Porém, é claro que os outros não concordam com isso, e você terá que enfrentar muito preconceito. O fato da personagem, além de uma "coelha fofinha", ser feminina, deixa mais claro ainda a alegoria com o mundo real: mulher não consegue ter um emprego "de homem". E sem pesar muito nisso, mantendo o tom infantil, o filme vai deixando claro que Judy é a representação da mulher no mundo de hoje, sendo sempre injustiçada e ganhando menos, porém se mostra mais capaz do qualquer marmanjo.

Uma comédia com crítica


O melhor de tudo é que o tema vai mais além. Como no filme os animais são de inúmeras espécies, e todas elas convivem junto, também existem outras separações. A mais evidenciada pelo filme é a dos Predadores com as Presas. Os predadores estão na mídia, são grandes, ricos e sarados. E as presas são pequenas, não muito intimidadoras e com empregos mais simples. Lembra alguma coisa? E apesar de parecer uma coisa (propositalmente, para mostrar como julgar está intrínseco em nós), não existe um "lado bom" e um "lado mau". Estamos todos ali, convivendo, e temos que trabalhar para o mundo seja justo para todos.

O enredo do filme é muito divertido e com um ritmo preciso, pois depois das necessárias apresentações dos personagens, o filme se torna um filme de detetive, no qual nós vamos descobrindo os fatos junto com os protagonistas, e essa fórmula é ótima, e funciona muito bem para todos os públicos. Não é tão simples a ponto de um adulto ficar entendiado (sim, muitos twists!), e não é tão complicado que uma criança não acompanharia.

Protagonista real


O ponto mais forte do filme sem dúvida é a protagonista. Sem aquela postura clichê de mulher forte que passa por cima de tudo com um sorriso e pronto, pois apesar de ser sonhadora e determinada, ela é muito humana (???). Ela tem suas dúvidas, seus desânimos, seus altos e baixos, e mesmo assim segue em frente. Sem falar da química dela com o parceiro meio anti-herói, Nick, uma raposa, que também tem a sua dose de preconceito e encara o problema de outra forma.

Zootopia é mais um filme deslumbrante da Disney, que além do visual, dessa vez carrega ótimas idéias e um roteiro que acerta em vários pontos, e ainda te faz pensar. É recomendado para todas as idades, e ainda vale a crítica que ele faz a nossa sociedade atual.

Renato Dias escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook