Cinema

Crítica: A Lenda de Tarzan - A Nova História do Homem-Macaco

Com lançamento em 21 de julho, Warner Bros Pictures reconta a história de um personagem icônico em "A Lenda de Tarzan"


Hoje em dia no mercado tem dinheiro, tecnologia e ótimos atores, mas em meio a essa gama de excelentes ferramentas, existe uma crescente leva de filmes que anseiam em serem apenas OK. A Lenda de Tarzan é mais um filme que entrará para essa estatística.

Para contextualizar os espectadores, é apresentada uma pequena introdução sobre a situação do Congo no século XIX, e uma breve introdução dos vilões da história. Em seguida é mostrado um Tarzan, aqui conhecido como John Clayton III, culto, importante e influente na civilização moderna. Sendo requisitado, por causa de sua nobreza, a resolver conflitos políticos, ao passo que dosadamente em forma de flashback o espectador conhece (novamente) a história de Tarzan, até que todos os caminhos se cruzem e o previsto aconteça.
George Washington e John "Tarzan" Clayton III

O filme conta com um elenco experiente com Alexander Skarsgård interpretando Tarzan, Margot Robbie como Jane PorterChristoph Waltz como o vilão Capitão Rom, Samuel L. Jackson como  George Washington WilliansDjimon Hounsou como o Chefe tribal Mbonga. Os personagens interagem muito bem, todos tem um papel importante no desenrolar da trama, com destaque para Samuel L. Jackson cujo personagem trouxe um alivio cômico para a história. É difícil segurar o riso quando ele diz que esteve na Guerra Civil, tirando as cenas engraçadas seu personagem não tem grande relevância para a história. Outros personagem que tiveram boas atuações porém suas motivações ficaram meio confusas são os vilões Capitão Rom e Mbonga, soou superficial o motivo para eles odiarem tanto o Tarzan.
Djimon Hounson como Chefe Mbonga, ótima caracterização mas pouca motivação

O ritmo do filme na primeira hora é meio maçante e muito lento, começando a engrenar só quando ele entra realmente na selva. A ambientação do filme - cenas na floresta - ficaram bem legais, apesar de serem curtas, quando os gorilas aparecem, os efeitos visuais utilizados neles demonstram muito bem a selvageria que eles transmitem (ponto positivo). Poxa, estamos falando de Tarzan, queremos ver ele na selva, cortando a floresta pendurado nos cipós, lutando com feras até se tornar a lenda que o filme se propôs a fazer. A trilha sonora do filme torna as cenas de ação na floresta ainda mais marcantes.
Deveria ter mais cenas como esta

Contando com bons atores, boas cenas de ação e um humor bem dosado, A Lenda de Tarzan conseguiu ser apenas um filme bom, um filme que manteve a média para passar de ano e só. Estamos vivendo a era dos reboots, remakes e adaptações, e com certeza não precisávamos de mais um baseado no icônico personagem de Edgar Rice ainda mais em um ano que apresentaram o filme Mogli: O Menino Lobo.


Colaboração e Revisão: Fábio Camilo
Ramon Gorge escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook