Cinema

Crítica: Sete Minutos Depois da Meia-Noite - Quem São os Verdadeiros Monstros?

Adaptação do romance homônimo traz uma história de fantasia e drama que promete surpreender o espectador


Com um misto de fantasia e drama, o longa faz o espectador se emocionar, sorrir e refletir sobre as decisões tomadas no dia-a-dia e quais os impactos que elas podem ter. Afinal, monstros são reais? No próximo dia 5 de janeiro chega aos cinemas Sete Minutos Depois da Meia-Noite (A Monster Calls), inspirado na obra homônima do escritor Patrick Ness e dirigido por Juan Antonio Bayona (O Orfanato).

Conor (Lewis MacDougall) é um garoto de 13 anos de idade, com muitos problemas na vida. Seu pai (Toby Kebbell) é muito ausente, a mãe (Felicity Jones) sofre um um câncer em fase terminal, a avó (Sigourney Weaver) é uma megera, e ele é maltratado na escola pelos colegas. No entanto, todas as noites Conor tem a mesma situação, uma gigantesca árvore (Liam Neeson) que decide contar histórias para ele, em troca de escutar as histórias do garoto. Embora as conversas com a árvore tenham consequências negativas na vida real, elas ajudam Conor a escapar das dificuldades através do mundo da fantasia.

Por se tratar de uma história infanto-juvenil, o filme tem uma história muito triste e pesada. O fardo que Conor carrega durante o filme é visível o tempo todo, inclusive na fotografia do filme. Quando está com o monstro, assim como nas histórias contadas - histórias que são todas em animação meio aquarela, as cores são mais vivas e alegres, enquanto quando está só Conor tem cores mais frias (nada que chegue a beirar o expressionismo alemão de Tim Burton) e tristes.

Felicity Jones está incrível em sua atuação como a mãe de Conor, mesmo não tendo tanto tempo de tela (afinal o foco principal é o menino), ela consegue trazer ao espectador o desejo de ver a personagem levantar, correr e mostrar que tudo está bem, mesmo que mostre a deterioração da personagem com o avanço da doença.

Lewis MacDougall é um ator incrível, o jovem ator de 14 (quatorze) anos consegue transmitir uma carga dramática intensa e impecável. Seu discurso final quando ele conta a sua história para o monstro, traz toda a dor e o sofrimento que o personagem carrega o filme inteiro, o motivo por trás dos seus pesadelos, sua raiva contida, tudo trazido à tona em um discurso cheio de emoção.

Não li o livro (ainda), mas após assistir a esse filme a vontade de ler se tornou maior, o filme é escrito pelo autor do livro Patrick Ness. Sete Minutos Depois da Meia-Noite é um filme que pelo título poderia passar despercebido por muitos, mas definitivamente merece seu lugar na galeria de melhores atuações e enredo, não percam essa belíssima obra de fantasia e drama.
Fabio Camilo é bacharel em Comunicação Social com especialização em Rádio, TV e Vídeo, roteirista, poeta, viciado/apaixonado por filmes, séries e quadrinhos, cansado de esperar pela carta de Hogwarts, agora treina para ser um sith ou uma chance de ser chamado para Hollywood.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook