Cinema

Crítica: A Bela e a Fera, o mesmo encantamento 26 anos após a animação

26 seis anos após a animação, longa em live-action traz de volta a magia do clássico Disney


A Bela e a Fera estreia na próxima quinta-feira 16 de março, e nós do Geekblast fomos convidados pela Disney para assistir a esse clássico de 1991 ganhar uma versão live action na telona.


Baseado na animação de 1991, A Bela e a Fera trás todos os ingredientes que encantaram o público há 26 anos. É um lindo musical, trazendo as músicas clássicas e três músicas inéditas, emocionando e despertando o sentimento de nostalgia.
As coreografias são bem executadas, com muita gente, cor e sapateado.

Canção sobre Gaston
A fotografia é belíssima, utilizando do clima, das cores e da iluminação para setorizar os cenários: os campos, o castelo, a taverna...Os figurinos utilizados identificam as pessoas da vila, por sua profissão ou posição social. Porém, um grande equívoco foi o uso da cor azul por outros moradores, sendo que na animação apenas a Bela usa essa cor (leia o post aqui).
Os personagens/objetos do castelo, se destacam em meio às trevas, novamente pelo uso das cores, e pelo tom de voz.

Os efeitos especiais são utilizados na maioria da cenas que acontecem no castelo, seja na manipulação dos personagens/objetos, nos livros, na neve, e obviamente na própria Fera, justamente a falha dessa categoria. A querida Fera poderia ter ficado mais realista.

Uma Fera com traços muito delicados

ELENCO

Apesar de ter se dedicado muito ao papel de Bela, Emma Watson ainda não se livrou do seu estigma da Hermione de Harry Potter, sua atuação foi tão marcante na saga, que aparentemente ela poderia ter atuado mais em A Bela e a Fera. 
Emma Watson como Bela
Dan Stevens, sinceramente foi uma decepção, atuação fraca, e tirando duas cenas de baile, o casal de atores não tem uma química grande para atuarem juntos. Já o relacionamento de pai e filha em cena entre Emma e Kevin Kline convence e faz o público vibrar pela dupla.
Em contrapartida a dupla Sir Ian McKellen como Horloge e Ewan McGregor como Lumière, roubam a cena o tempo todo, são amigos, conselheiros e engraçados.
Com Luke Evans temos um Gaston vil e com uma pitada de humor negro, fez muito bem o seu papel. Junto com ele, o inseparável LeFou (Josh Gad) é o alívio cômico do longa.

Pôsteres especiais da Disney com Sir Ian McKellen e Ewan McGregor

DIVERSIDADE

Sem dúvida alguma é um dos maiores trunfos dessa versão, a inserção de personagens negros, e principalmente homossexuais, uma das cenas finais é sensacional (vocês saberão).

Quem é fã da animação e dos personagens não será decepcionado, quem não for, será fisgado. O longa é uma grande produção, tem tudo o que a animação nos deu com itens especiais adicionados que só acrescentaram para nos fazer amar ainda mais, toda a magia e a fantasia que representa A Bela e a Fera.
A coreografia do baile

Ficha Técnica

Nome: A Bela e a Fera
Nome Original: Beauty and the Beast 
Origem: EUA
Ano de produção: 2016
Lançamento: 16 de março de 2017
Gênero:  Fantasia, Romance, Musical
Classificação: 10 anos
Direção: Bill Condon
Elenco: Audra McDonald, Dan Stevens, Emma Thompson, Emma Watson, Gugu Mbatha-Raw, Ian McKellen, Josh Gad, Kevin Kline, Luke Evans
Polly Wannele é nordestina, arquiteta, viajante, cinéfila, leitora e viúva de Han Solo. É uma Jedi, mas todos falam que é uma Sith por ter gênio do capiroto.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook