Cinema

Crítica: Travessia - Salvador de um jeito que você nunca viu

Drama familiar entre pai e filho envolvendo abuso de drogas e disputa por herança é tema do filme Travessia do diretor iniciante em longas João Gabriel


Primeiro filme do diretor baiano João Gabriel, Travessia traz drama familiar vivido por Caio Castro e Chico Dias em uma Salvador descaracterizada do padrão de beleza e pompa que a capital da Bahia demonstra em comerciais e cartões postais. O longa é diferente em muitos aspectos do que o grande público está acostumado no cinema nacional trazendo um mix de emoções e sentimentos que dão o tom de todo o filme.
O enredo conta a história de Roberto (Chico Dias) que acabou de perder a esposa e viúvo se defronta com a saída de casa de Júlio (Caio Castro) seu único filho. Os minutos iniciais do longa já deixam claro que a relação de Júlio e Roberto não é boa, ainda mais com a disputa da herança que a morte da mãe acabou iniciando, o filme todo se constrói em arcos separados e enquanto Júlio está descobrindo as dificuldades e desafios da vida jovem, Roberto se defronta com os problemas de um homem de meia idade viúvo.

Diretor do Longa: João Gabriel

ROTEIRO

O diretor João Gabriel é responsável também pelo roteiro juntamente com Paulo Tiago e Maria Carolina, nesse momento percebemos um pouco a falta de experiência do diretor no ramo de longas, visto que o diretor assina 3 curtas um deles super premiado, algumas cenas tentam de uma maneira excessiva passar um ar de depressão e melancolia que são pontos altos do filme, porém, em alguns momentos trafegaram entre o excesso e o desespero por atenção.
Algumas sequências das cenas também deixaram a desejar dando a impressão de ser um documentário de Salvador Underground do que o filme dramático que realmente é. Já foi dito que o filme se passa em arcos diferentes aonde Júlio e seu pai conversaram apenas duas vezes e por telefone, esse ponto poderia ter sido mudado visto que a aparição de ambos no mesmo quadro traria um calor para o espetáculo e adicionaria muito sentido ao filme.
O filme já foi apresentado em 2015 em algumas feiras internacionais e ganhou vários prêmios incluindo o 10° Fest Aruanda um dos mais importantes no cenário nacional isso não é à toa visto que o filme tem uma fotografia impressionante e os atores entregam papéis sinceros e emocionantes.

ELENCO

Chico Dias
Chico Dias está espetacular mostrando todo o seu potencial artístico e experiência em filmes, novelas e séries, as cenas dele dirigindo quase que sem rumo são facilmente encaixadas no contexto momentâneo do longa e sem necessitar diálogos complexos e explicativos ele transparece a emoção do seu personagem. Ele mesmo disse que aceitou o papel para poder aprender um pouco mais sobre a relação pai e filho e para somar um diferencial a sua carreira. Chico Dias entrega um viúvo palpável e realista que fisga o carinho e pena dos espectadores, algo que não vemos sempre nos filmes nacionais. Até mesmo quando ele está inteiramente errado nas suas atitudes ele acerta e essa contradição de emoções torna o personagem antagônico e singular.


Camila Camargo e Caio Castro
Caio Castro é um excelente ator e já fez várias novelas e alguns filmes, no entanto pareceu meio incomodado na pele de Júlio, um jovem usuário de drogas, classe média-alta, com problemas familiares ... tudo isso não difere muito de alguns de seus papéis passados, porém, durante todo o filme ele é calado “na dele”, em momento nenhum mantém um envolvimento verdadeiro com seu par romântico Camila Camargo o que não deixa o espectador se apaixonar pelo personagem, mas normalmente essa carga de silêncio e drama é pedido direto do diretor, o que não tira o brilho de um papel bem interpretado pelo ator. O próprio Caio Castro disse que esse papel era diferente de tudo o que ele já tinha feito para a TV ou para as telonas e despertou nele a busca por coisas novas.

A atriz Camila Camargo faz sua estréia em um papel de peso no cenário cinematográfico, apesar de já ter atuado em novela no SBT e participado de programas de televisão a atriz não é conhecida no meio artístico do cinema, tirando o fato de ser filha de Zezé de Camargo, a jovem de 31 anos está muito bem nos momentos em que contracena com seu par Caio Castro e mostra potencial para partir para projetos mais arrojados.

CONCLUSÃO

Não vá ao cinema procurando se divertir ou ver um Caio Castro galã, é necessário alguns minutos para entender isso e assimilar o emocional que a obra consegue transmitir. O filme todo é muito bem dirigido e consegue transpor a emoção e carga sentimental que deseja passar, o roteiro é muito bem escrito e sabe exatamente o caminho que deseja seguir apesar de ter espaço para algumas mudanças que teriam deixado o longa com um charme diferenciado. O filme possui duas ou três cenas de sexo e nudez que não adicionaram nada de significativo ou interessante a obra, a inclusão delas é entendível e aceitável apesar de se fazer desnecessária. Talvez a ideia original do longa se transcrevesse melhor em um documentário mostrando o lado suburbano de Salvador e suas dificuldades, mas é inegável que o diretor e elenco fizeram um trabalho ótimo apesar das ressalvas.

Ficha Técnica

Nome: Travessia
Nome Original: Travessia
Origem: Brasil - Bahia
Ano de produção: 2015
Lançamento: 23 de Março de 2017
Gênero: Drama
Direção: João Gabriel
Elenco: Chico Dias, Caio Castro, Camila Camargo, Caco Monteiro 
Parrilha escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook