Séries

Crítica: Doctor Who - A Piloto

10º ano volta com episódio emotivo para embalar a temporada



Não é mais segredo que Steven Moffat deixará Doctor Who após sete anos com errosacertos e muitas polêmicas. Mas, julgando pela 9ª temporada e pelo belo episódio de estréia da 10ª, os whovians talvez comecem a olhar com nostalgia para o legado do produtor.


Convenientemente chamado de "A Piloto" ("The Pilot", em inglês), o primeiro episódio do ano coloca o Doutor (Peter Capaldi) e Nardole (Matt Lucas) "presos" na Terra, com o Senhor do Tempo sendo obrigado a encontrar um emprego como professor em uma faculdade por conta de um "serviço" que está executando com o ex-auxiliar de River Song (lembrada num retrato sobre a mesa do Doutor/Professor, ao lado de sua neta Susan Foreman, da série clássica).

As explicações do roteiro, os cenários e até mesmo a curta aparição dos Daleks são um atestado: se você nunca viu Doctor Who na sua vida, pode começar daqui (o que não quer dizer que fãs da velha guarda ficarão sem suas referências aqui ou ali).

Logo no começo do episódio, conhecemos Bill Potts (Pearl Mackie), que serve batatas fritas na cantina da faculdade e frequenta as palestras do Doutor para ficar de olho em uma garota que está afim. Sem querer, Bill acaba por chamar a atenção do Doutor, que "adota" a ajudante de refeitório para lhe dar aulas particulares.
O 12º Doutor (Peter Capaldi) preso à Terra por conta de uma missão desconhecida
A sexualidade de Bill, muito comentada antes da estréia, não é, como se temia, usada para chamar atenção, mas sim o toque romântico do episódio, que representou com normalidade seu curto romance com Heather (Stephanie Hyam). Atuações delicadas de ambas as atrizes fez com que os momentos das personagens fossem tão emocionantes quanto o curto (e extremamente doloroso) easter egg sobre Clara Oswald (Jenna Coleman) e sua despedida em 2015.

No quesito atuações, Capaldi continua mostrando que deixará saudades ao fechar as portas da TARDIS no final do ano. A evolução do homem rabugento da 8ª temporada ao viúvo saudoso e carente está completo, apesar de ainda vermos lampejos da arrogância por trás do eterno luto por River e o vazio que sente por não se lembrar de Clara.

O Nardole de Matt Lucas está menos exagerado e a personagem se mostra muito mais agradável do que fora nos especiais "Os Maridos de River Song" e "O Retorno do Doutor Mysterio", sendo muito mais útil ao Doutor do que apenas o alívio cômico estilo "Três Patetas".
Heather (Stephanie Hyam) e Bill (Pearl Mackie) em uma das cenas mais tocantes do episódio
Por estar em seu primeiro episódio na TV, Pearl Mackie parece não estar acostumada com algumas dinâmicas, principalmente com a alta produção, como a invasão à base Dalek ou mesmo a cena num bar lotado. Nas cenas mais intimistas, no entanto, com diálogos mais profundos, a nova companheira brilha e emociona, trazendo lágrimas aos olhos dos telespectadores (e do próprio Doutor).

Num todo, "A Piloto" talvez seja um dos episódios mais emotivos já produzidos por Steven Moffat e sua equipe e, com certeza, elevam a um novo patamar as atuações de Capaldi como o Doutor. A pequena prévia dos episódios seguintes, com relances de regenerações, Mestres e muito mais do que está por vir deixa um gosto de quero mais que há muito não se tem com a série.

Doctor Who chega à sua 10ª temporada moderna e estreia dia 16 de abril no Brasil, às 20h no canal pago SyFy, marcando a despedida de Steven Moffat como showrunner e de Peter Capaldi como o 12º Doutor.
Nicolaos Garófalo escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook