Cinema

Cinco diretores que viraram vilões das próprias criações

Diretores que se tornaram os maiores vilões de suas franquias


Após o lançamento do mais novo filme de Alien, Alien: Covenant, muitas críticas surgiram sobre a franquia, por não estar se mexendo, presa no mesmo lugar e só crescendo para dentro e o principal culpado seria o próprio criado desse universo, Ridley Scott. Os fãs criticam a maneira que Ridley está desenvolvendo a saga e que a historia não é mais só dele. Ridley Scott não foi o único criador a enfrentar reclamações por continuar atuando nela. Confira outros cinco diretores que eram heróis mas depois viraram vilões da mesma criação.


George Lucas - Star Wars 


Ele é o responsável por ter criado a maior império do cinema. Star Wars, sem dúvida, está marcado para sempre na história. Mas George Lucas também é o responsável por quase desgastar a franquia e deixá-la esquecida pois, depois do episodio 6, demorou quase 20 anos para lançar outro filme da série. E, quando saiu o Episódio 1, foi praticamente linchado pelos fãs e críticos.

A nova trilogia (Episódios 1, 2 e 3) não foi tão marcante quanto a clássica, não tinha um grande roteiro e George tinha se cansado de efeitos práticos, gravando o filme inteiro na tela verde. Logo depois da nova trilogia, Star Wars ganhou apenas mais uma série animada, Star Wars: The Clone Wars. Até que, em 2012, Lucas vendeu a LucasFilm para Disney, que está reformulando toda a saga.

Peter Jackson - O Hobbit


O homem que trouxe a Terra Média para o cinema, Peter Jackson surpreendeu o mundo com a produção da trilogia O Senhor dos Anéis em 2001, 2002 e 2003. O terceiro filme, O Retorno do Rei, ganhou 11 estatueta no Oscar. Em 2010, começou a produção do livro que antecede Senhor dos Anéis, The Hobbit (O Hobbit), transformado em uma nova trilogia. Estava tudo preparado para que Guillermo Del Toro dirigisse os filmes, o que não aconteceu. Del Toro ficou só na produção. Quem assumiu o comando foi Jackson e todos se empolgaram.

Os dois primeiros longas não foram muito criticados, porém o terceiro filme sofreu nas mãos da crítica. O grande problema era que não fazia sentido que a história fosse dividida em 3 partes, já que o livro é uma narrativa simples de aventura infantil, com cerca de 300 páginas (dependendo da edição). Jackson o transformou em um evento épico que não funcionou e a trilogia O Hobbit não teve o mesmo sucesso que a de O Senhor dos Anéis.

As Wachowski - Matrix


Quem viveu o final dos anos 1990 teve um grande presente: Matrix. O filme de ficção científica lançado em 199 pelas diretoras (até então irmãos) As Wachowski. A produção explodiu a cabeça de todos na época e, até hoje, ele é intrigante para quem assiste pela primeira vez, porque mexe com filosofia, ciência, historia e fantasia. Ganhando 4 Oscars, todos na parte técnica, a produção virou um dos ícones do gênero. Em 2003, Matrix ganhou duas continuações: Matrix Reloaded e Matrix Revolutions.

A expectativa antes da estreia era grande, com muitas discussões sobre o rumo da trama e como poderia ficar ainda mais louco do que o original. O segundo filme veio só para aumentar a filosofia da estória, mas o resto foi o mesmo. Já o terceiro foi a decepção dos fãs, por não mostrar nada que pudesse "explodir" sua cabeça e parecia que foi feito apenas para conseguir encerrar a trilogia, sem honrar a memória do primeiro filme.

Todd Phillips - Se Beber Não Case


Em 2009, tivemos uma surpresa com o lançamento de Se Beber, Não Case (The Hangover), besteirol que fez todos não se aguentarem de rir no cinema, combinando humor com ação e até alguns toques de suspense policial. Tinha um elenco praticamente desconhecido, recebeu uma classificação para maiores de idade e, mesmo assim, conseguiu fazer sucesso.

Com o resultado, obviamente recebeu continuações. A parte 2 chegou aos cinemas em 2011 e todos esperavam um filme ainda mais pirado que o primeiro. Decepcionou muito, repetindo a fórmula, trocando o cenário de Las Vegas para Bangkok. Alguns questionaram o diretor, com o argumento que ele repetiu o primeiro filme e achou que ninguém ia perceber, disfarçando com cenas mais apelativas. Não foi bem recebido pelos críticos e pelos fãs. Em 2013, era lançada a parte 3, dessa vez um pouco mais original do que seu predecessor, com muito mais ação, só que não conseguiu ser tão bom quanto o primeiro filme.

Sylvester Stallone - Rocky


Ok, os filmes de Rocky Balboa não são ruins, mas eles não têm a mesma qualidade do primeiro da série. Das seis produções que tem o lutador Rocky como principal, Sylvester Stallone foi o diretor de quatro deles (Rocky II, III, IV e Rocky Balboa) e roteirista dos seis então podemos falar que Stallone é o responsável pelas estórias que pareciam as mesmas nos filmes.

No primeiro, vemos um jovem lutador de boxe que fica famoso ao ganhar a chance de enfrentar o atual campeão dos pesos pesados e tinha que se provar. O longa chegou a conquistar o Oscar de melhor filme, superando produções como Taxi Driver e Os Homens Do Presidente. Rocky teve mais cinco sequências (além do quase spin-off Creed) e as cinco imitavam o roteiro do primeiro. Sim, de uma forma diferente, mas sempre com o mesmo enredo, com Rocky Balboa sempre tendo que se superar.

Concorda com a lista, trocaria alguns nomes ou incluiria mais alguns?

Murilo Barroso escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook