Cinema

Crítica: Jogador nº1 é um show de easter-eggs

Filme traz uma trilha sonora cativante e diversas referências a cultura pop das últimas décadas


Um dos filmes mais aguardados pelo público nerd é o Jogador N°1, filme que chega aos cinemas no dia 29 de março. O longa do visionário diretor Steven Spielberg é um show de efeitos especiais e nostalgia para todos os públicos, com um "quê" a mais para o público old-school.


A história se passa em 2044. Wade Watts (Tye Sheridan), assim como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do jogo OASIS ao mundo real. Quando o criador do jogo, o excêntrico James Halliday (Mark Rylance) morre, os jogadores devem descobrir a chave de um quebra-cabeça diabólico para conquistar sua fortuna inestimável. Para vencer, porém, Watts tem de abandonar a existência virtual e ceder a uma vida de amor e realidade da qual sempre tentou fugir.

Para o público que cresceu entre os anos 1980 aos 2000 com certeza vai se identificar muito com o filme. O longa, que é inspirado no livro homônimo, tem sua maior parte no mundo virtual, logo é quase todo em animação digital, e, depois de assistir, você percebe que não poderia ser de outra forma. Personagens e cenários que são apresentados no decorrer da trama funcionam muito melhor em animação digital.

Aquela cena que te faz vibrar


A trama traz, de certa forma, uma crítica ao mundo conectado também, quando o personagem cita que o mundo real é algo chato e sofrido e por isso a população prefere se distrair no mundo virtual onde podem ser o que quiserem. É uma analogia até interessante tendo em vista que o livro é de 2011, a época em que os smartphones estavam começando a ganhar força e o mundo cada vez mais conectado estava, mostrando como essa realidade é possível acontecer.

A tecnologia permite escapar da realidade


A trilha-sonora é um show à parte com músicas de Duran Duran, Twisted Sister, George Michael e muitos outros artistas que compõe de forma magistral a obra. Claro que vale ressaltar a parceria de John Williams e Alan Silvestri que muito contribuíram com o longa.

Confira:


Um filme para todos os públicos mas não para todas as idades


Jogador nº 1 é um bom filme mas, talvez, não tenha o mesmo impacto e aceitação para todas as idades. Afinal, a maioria dos jovens e crianças de hoje em dia não conhecem um Atari 2600 ou mesmo entenderia as referências a John Hughes, Robert Zemeckis, Battletoads, e muitas outras que aparecem no decorrer da trama. Quem não iria vibrar ao ver um DeLorean em um filme atual, ou mesmo ver o Gigante de Ferro em ação? Logo a emoção que eu senti ao ver ícones que fizeram parte da minha infância e adolescência talvez não tenha a mesma receptividade por um público mais jovem, mesmo que isso não tire a beleza da obra.

Essa sequência é aquela parte do filme que se piscar perde o easter-egg


Jogador nº 1 é um filme que merece ser assistido nos cinemas e, se puder, veja em IMAX - a imagem é incrível e um verdadeiro deleite para os olhos. agora só preciso ler o livro para ver se mudou alguma coisa.

Ficha Técnica


Nome: Jogador Nº1 
Nome Original: Ready Player One
Origem: EUA
Ano de produção: 2018
Lançamento: 29 de Março de 2018
Gênero:  Ficção Científica, Ação, Animação
Classificação:  Livre
Direção: Steven Spielberg
ElencoTye Sheridan, Olivia Cooke, Ben Mendelsohn, Mark Rylance, Simon Pegg, T. J. Miller
Fabio Camilo é bacharel em Comunicação Social com especialização em Rádio, TV e Vídeo, roteirista, poeta, viciado/apaixonado por filmes, séries e quadrinhos, cansado de esperar pela carta de Hogwarts, agora treina para ser um sith ou uma chance de ser chamado para Hollywood.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook