13 Reasons Why: Continuação necessária?

Polêmicas no mundo de Netflix: segunda temporada foi realmente necessária ou não?



 A segunda temporada da série jovem-adulta da Netflix está rendendo certos comentários. O público agora está dividido entre os que adoram a série e os que a consideram tóxica e desnecessária.


Atenção: o texto contém spoilers

Não é de hoje que 13 Reasons Why causa polêmica. Na primeira temporada, a série produzida pela Netflix e baseada no livro de mesmo nome escrito por Jay Asher, aborda de forma explícita temas como depressão, bullying e suicídio. Seu estilo mórbido, com o ar de que tudo pode dar errado (e dá) é o que mais nos faz questionar o real sentido da série - e isso não é diferente na segunda temporada.

Desta vez encontramos os personagens tentando refazer as vidas, ao mesmo tempo que enfrentam o as mágoas e, claro, o julgamento da ação movida pelos pais de Hannah Baker contra a escola Liberty. A ideia desta continuação é que conheçamos um outro lado de cada personagem, começando por Hannah. Descobrimos uma garota mais desinibida que a apresentada na temporada anterior, descobrimos fatos que foram ocultados nas fitas deixadas por Hannah, e devo confessar que isso nos leva a perder um pouco  da empatia pela personagem. Em contra partida, vemos que os responsáveis pela vida depressiva de Hannah agora tentam ajudá-la com os seus depoimentos. Suas histórias se explanam, se aprofundam, porém só entendemos o rumo que alguns personagens tomam muito no fim da temporada, enquanto a trama se desenrola de forma arrastada.


O roteiro peca em vários aspectos. Além de seus altos e baixos que ocorrem de forma abrupta em vários episódios, são deixados furos com o único intuito de que ocorra a terceira temporada. Tivemos ótimas cenas e diálogos bastante convincentes, mas também cenas altamente desnecessárias de narrativa rasa. Parece inacreditável pensar que um garoto de ensino médio, sozinho, pudesse enfrentar um atirador com apenas psicologia reversa, ou mesmo um caso de estupro ser tratado de forma tão banal, ou ainda  o fato de que nenhum jovem tenha uma conversa franca e aberta com seus pais, nos deixando a ideia de que isso realmente não existe e que seus problemas você deve resolver sozinho. Por fim essa temporada acaba nos dando um sentimento de que falta algo (ou muita coisa), e não um "gostinho de quero mais".
Lucas Cavalcante escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook