Cinema

Coletiva de imprensa Os Jovens Titãs em Ação! nos Cinemas

Trechos da cletiva de impressa com os dubladores Charles Emmanuel, Manolo Rey, Luisa Palomanes, Mariana Torres, Eduardo Borguerth e Ricardo Schnetzer


No dia 22 de agosto aconteceu no Cinemark do Shopping Eldorado o lançamento do filme Os Jovens Titãs em Ação! nos Cinemas. Depois da exibição da animação tivemos uma coletiva de imprensa com os dubladores Charles Emmanuel, Manolo Rey, Luisa Palomanes, Mariana Torres, Eduardo Borguerth e Ricardo Schnetzer. Que contaram um pouco sobre a experiência de dublar os Jovens Titãs, tanto no cinema como na série animado do Cartoon Network. E dos desafios da dublagem em tempos de globalização.


O trabalho do diretor é fundamental para que os artistas envolvidos consigam alcançar o seu melhor resultado. Hoje os dubladores gravam suas partes separadamente, antes todos ficam juntos numa bancada, que muitas vezes nem cabia todos. Era mais interessante em termos artísticos, mas por questões de tecnologia isso não é mais possível.

Assim o ator precisa de uma concentração muito maior, para se entregar muito mais e aceitar o que está sendo proposto pelo diretor. Uma vez que não dá nem tempo de todos os envolvidos assistirem o filme, porque o processo está muito mais acelerado, em virtude da demanda criada pela globalização.
O trabalho de dublagem se molda a partir da ação de observar o que está na tela, falou Ricardo Schnetzer, a voz do ator, dos tons que serão empregados. Trabalhando todo esse conteúdo de interpretação respaldado pelo trabalho da direção. Que é fundamental para criar a linha mestra do personagem, assim o diretor transmite todo o conteúdo do filme à equipe. Isso colabora para que exista uma unidade entre toda a equipe.


Primeira etapa do processo observar e entender a cena, pois tudo está na ação. Observar os movimentos, como o ator faz, para dar a verdade e a noção espacial. Mesmo trabalhando sem utilizar todo o corpo. A emoção precisa vir de dentro para ser verdadeira.

Estão surgindo diversas empresas de dublagem espalhadas em todo o país, entretanto uma maior oferta não significa, necessariamente, qualidade nas produções. Pois para cortar custos muitas empresas estão recorrendo e essas novas praças que não têm compromisso com a qualidade nem com o público. Entretanto, não importa onde a dublagem vai ser realizada desde que exista qualidade, o importante é a qualidade e o respeito ao público.

Sobre o preconceito com relação aos filmes dublados as mudanças de comportamento que a sociedade experimentou nas últimas décadas, permitiram uma maior aceitação da dublagem. Tanto que tivemos um crescimento na oferta de filmes e séries dubladas. Contudo, todos os dubladores destacaram a importância de opções para os diversos tipos de público. As pessoas precisam ter o direito de escolher o que deseja assistir.


A preferência por filmes legendados no Brasil é mais uma questão cultural. – falou Luisa Palomares.

Quando as pessoas percebem a diferença entre uma boa dublagem e uma ruim presta um grande favor para todos os profissionais. – falou Eduardo Borguerth. Isso significa que o público está percebendo o que é um trabalho de qualidade e um ruim. É importante as pessoas reclamarem quando o trabalho de dublagem for ruim, pois só assim será possível manter a qualidade nas produções.
Os dubladores ainda não sabem se irão dublar a versão live action dos Jovens Titãs, porém contam com o apoio dos fãs para que isso se torne uma realidade.

Karina E. da Costa escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook