Crítica: Os Irmãos Willoughby, animação hipercolorida da Netflix, é uma grata surpresa

Os irmãos Willoughby animação hipercolorida da Netflix que entrou no catalogo em 22 de abril que apresenta temas profundos de forma leve e ritmo acelerado

Os irmãos Willoughby disponível na Netflix


De tempos em tempos alguns filmes conseguem impressionar em virtude do tema abordado. Podemos citar Divertida Mente e Up! - Altas Aventuras que trazem reflexões fortes e necessárias. Dito isso, Os Irmãos Willoughby, animação que entrou no catálogo da Netflix em 22 de abril é um exemplo de animação que surpreende através da história que conta. Logo, não se deixe levar pelas cores berrantes e personagens peculiares que aparecem na tela, pois o maior triunfo do desenho são as reflexões que ele apresenta.
Sinopse
Quatro irmãos com pais egoístas fazem um plano para se livrar deles de uma vez por todas e formar a família que desejam.




Baseado na série de livros com o mesmo título de Lois Lowry publicados em 2010 pela Yearling Books, e com direção de Kris Pearn de Tá chovendo hambúrguer 2, o filme narra as desventuras dos irmãos Willoughby e sua busca pela família perfeita.

Com cenários ricos, cores supersaturadas, texturas que remetem ao artesanal e uma preferência pelos diversos tons de vermelho. À primeira vista o filme pode parecer só mais uma animação para crianças, entretanto a história vai além.


Quem são os irmãos Willoughby 

Os personagens são fofos como novelos de lã e tem personalidades marcantes, que estão totalmente a serviço do enredo. Tim o filho mais velho precisou crescer mais rápido que as crianças normais, pois desde que nasceu está por conta própria, somando-se a isso seu desejo de honrar o legado dos Willoughby, que foi totalmente destruído por seus pais egoístas, fez dele um mini adulto. Ainda, o garoto tenta manter a ordem na casa para evitar aborrecer seus pais.

Jane a filha do meio é uma menina sonhadora que gosta de cantar, a típica garotinha de sua idade. Que apesar da vida dura que leva não deixa de sonhar. Uma pessoa capaz de amar, mesmo que nunca tenha recebido amor.

Os gêmeos Barnaby, os pais não se deram nem ao trabalho de escolher nomes diferentes para cada criança, são superdotados com síndrome de Thomas Edison, assim passam os dias criando novas geringonças e têm um olhar um tanto assustador.

Como já disse a melhor parte do filme é sua temática, aqui sobre pais que não amam seus filhos. O tão celebrado instinto materno falhou miseravelmente no caso da Senhora Willoughby que detesta os próprios filhos, é algo tão absurdo que a mulher simplesmente não entende o porquê as crianças aparecem. Sério, Querida? Não te contaram como os bebês nascem?

Para deixar a esposa feliz o patriarca da família não permite que as crianças tenham contato com eles. Por isso os pequenos precisam cuidar uns dos outros, sendo Tim o responsável por impedir seus irmãos de atrapalhar a paz do feliz casal. O que faz o garoto desenvolver sérios problemas de confiança.


A família pode surgir onde menos esperamos 

No meio do caos que é a vida dos irmãos surge a babá Linda, uma personagem inspirada em Mary Poppins, o filme deixa claro esse aspecto da história durante um diálogo entre Linda e Jane, também tem o guarda-chuva e outras referências a babá mais conhecida da literatura infanto-juvenil mundial. Sendo que, a babá se torna a coisa mais próxima de amor parental que as crianças viram até o momento. Entretanto, Tim tem dificuldades de aceitar a babá, enquanto seus irmãos aproveitam cada instante da experiência e descobrem o que é ser amado.

É uma produção que tem um ritmo ágil e narrativa acelerada, com alguns plot twists divertidos que fazem todo o sentido com o que está sendo contado. Mas não podemos esquecer que é uma animação, assim não temos finais indecifráveis como A origem ou trágicos como Vidro. O tema é bem apresentado dentro do que se convencionou ser uma animação.

Os irmãos Willoughby é um filme muito bonitinho e fácil de ser entendido. O tema pesado foi acertadamente suavizado pela narrativa e cenários coloridos. Aliás, temos muitos temas sendo abordados no filme, mas o mais importante é o conceito de família, que é uma reunião de pessoas que se amam e se importam umas com as outras. Enfim, a animação merece ser vista.


Ficha técnica

Título: Os Irmãos Willoughby
Título original: The Willoughbys
País: Canadá
Data de estreia: 22 de abril de 2020
Gênero: Animação, Comédia, Filme baseado em livro
Classificação: 10 anos
Duração: 92 minutos
Distribuidora: Netflix
Direção: Kris Pearn
Elenco: Will Forte, Maya Rudolph, Ricky Gervais, Terry Crews, Alessia Cara, Martin Short, Jane Krakowski e Seán Cullen

Escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google