Séries

Séries que começaram bem, mas desandaram

Séries que passaram da validade, mas a gente continua vendo



A velha história: a série começa linda, inovadora, ganha vários prêmios todos ficam felizes e aí... Acaba a magia. Os atores ficam estrelados, os produtores gananciosos, os roteiristas preguiçosos e os espectadores viram reféns de seriados que vão perdendo qualidade ao longo do tempo.


Listamos abaixo algumas (várias) séries que ficaram no ar um pouco a mais do que deveriam.

Supernatural


Começando pelo óbvio, Supernatural entrou no ar em 2004, com a história dos irmãos Sam (Jared Padalecki) e Dean Winchester (Jensen Ackles) que, em 5 anos, deveriam fazer parte, ou parar, o apocalipse, incorporando Lúcifer e Miguel na batalha final entre Céu e Inferno. A série era ótima e criou uma gigantesca base de fãs (talvez você já tenha cruzado com ela no Tumblr), fazendo o pessoal da CW renovar a série ano após ano, até chegarmos no que temos hoje: temporadas confusas com histórias soltas, melodrama exagerado e muitas, mas muitas brigas entre os irmãos. Apesar de ter se tornado alvo de piada de críticos e fãs, Supernatural ainda não tem data para acabar, apesar de já ter passado muito do seu prazo de validade.

The OC


The OC começou como um dos melhores dramas adolescentes do século XXI, mas, em sua curta vida, conseguiu a façanha de se tornar apenas irritante já com o final de sua segunda temporada, quando Marrissa (Mischa Barton) foi tendo todas as suas características problemáticas exponenciadas, além de a própria atriz causar um caos nos bastidores. A resposta dos produtores? Matar a personagem quando ela começava a se redimir e a reassumir o centro da trama. Desnecessário dizer que a série não durou nem mais uma temporada cheia depois disso.

Smallville


Ah, Pequenópolis! A ideia era simples: mostrar os primeiros passos de Clark Kent (Tom Welling) para se tornar o Superman, descobrindo seus poderes ao mesmo tempo em que enfrentava as dificuldades do colégio e da puberdade. O projeto inicial era para que a série durasse 4 anos, cobrindo o high school americano. Mas, assim como Supernatural, a enorme base de fãs convenceu os executivos da DC e da CW a manterem a série por (não tão) incríveis 6 anos a mais, cobrindo a criação da Liga da Justiça, o casamento com Lois Lane (Erica Durance) e a morte e ressurreição de Lex Luthor (Michael Rosenbaum). Tudo isso sem que víssemos Clark realmente se tornar o Homem de Aço.

Scrubs


Foram 5 temporadas simplesmente perfeitas antes que Scrubs entrasse em desgraça. Uma das melhores comédias do século satirizava dramas hospitalares como ER e Grey's Anatomy com piadas de humor negro extremamente inteligentes, personagens femininas fortes e um protagonista sonhador (Zach Braff). Depois de uma sexta e uma sétima temporada fracas na NBC, Scrubs foi parar na ABC para uma oitava e (teoricamente) última temporada, que se saiu relativamente bem. Essa melhora na audiência fez com que o canal encomendasse uma desastrosa nona temporada, sem os protagonistas e sem nem ao menos o hospital.

That '70s Show


Não me levem a mal, eu adoro basicamente todas as séries dessa lista. That '70s Show é uma das minhas comédias favoritas, mas teve o mesmo problema de Smallville: ela foi feita para durar os 4 anos do high school, mas as audiências gigantescas da série fizeram com que o programa, que lançou astros como Mila Kunis, Ashton Kutcher, Topher Grace e Laura Prepon, durasse 8 temporadas, com problemas cronológicos sérios e trocas no elenco, que começava a alavancar uma carreira em Hollywood. Felizmente, antes de cair em desgraça total, That '70s Show foi cancelada e é lembrada com carinho até hoje.

Os Simpsons


Igualando Supernatural no quesito de série que já não tem mais propósito, Os Simpsons já está com 27 temporadas e há quem diga (eu) que pelo menos 10 delas são desnecessárias, principalmente se considerarmos o ótimo longa de 2007 como o ápice do programa. De lá pra cá, as críticas da série ficaram rasas e o humor negro deu lugar a piadas infantis. Pelo menos a animação em si melhorou com o passar do tempo...

Game of Thrones


Peço perdão por essa inclusão e desde já aponto o dedo para nosso editor Fábio Camilo por este item estar aqui (SHAME)! 
Piadas a parte, é um fato que Game of Thrones, série que adapta a obra brilhante de George R. R. Martin, começou extremamente bem, com três temporadas maravilhosas. Mas, no decorrer da quarta temporada, o ritmo foi caindo cada vez mais, até nos depararmos com o inútil e preguiçoso quinto ano. A sexta temporada, no entanto, quebrou as amarras com os livros e fez com que GoT reencontrasse o tom e o ritmo que os fãs tanto amam.

The Walking Dead


Inspirada numa incrível série de HQs de Robert Kirkman, The Walking Dead teve duas temporadas iniciais primorosas, tanto no quesito roteiro, quanto em efeitos especiais. Mas a repetição de temas, a queda constante de ritmo e os vilões genéricos começaram a cansar o público. Tudo parecia que ia mudar com a chegada de Negan (Jeffrey Dean Morgan) no final da sexta temporada, mas o que se viu em tela foi uma das temporadas mais entediantes da TV, principalmente quando comparada à recém chegada Legion, da concorrente FX.

Doctor Who


Como eu disse, eu adoro basicamente todas as séries desta lista! Este item em especial é meu seriado favorito de todos os tempos, a ponto de eu ter uma TARDIS tatuada. MAS, não tenho a ilusão de que uma série de 54 anos, por mais influente que seja, será uma maravilha do começo ao fim. A começar pela série clássica, tudo começou a sair dos trilhos quando Peter Davison, o 5º Doutor, deu lugar a Colin Baker, que interpretou um Doutor violento, arrogante e mentalmente instável, sendo demitido apenas um ano e meio depois de seu início. Em seu lugar, Sylvester McCoy foi a tentativa da BBC de trazer um Doutor carismático e engraçado de volta, mas já era tarde demais: a série foi cancelada em sua 26ª temporada.
Na série moderna, 6 temporadas foi o tempo limite para que as coisas desandassem. Depois de 4 anos brilhantes sob o comando de Russel T Davies, Steven Moffat assumiu o leme da série e, visivelmente, a qualidade começou a cair, atingindo o fundo do poço (e ameaças de cancelamento) na 8ª temporada. A ótima nona temporada deu sobrevida a série, que deve seguir mais tranquila com a saída de Moffat após o 10º ano.

How I Met Your Mother


Vista como a substituta de Friends, How I Met Your Mother começou como uma das comédias mais cativantes e hilárias de todos os tempos, misturando risos e lágrimas em cada episódio e se mantendo sempre fiel à própria continuidade. O problema é que a continuidade é gigantesca e, a partir do sétimo ano, tudo soa repetitivo e desnecessário, especialmente a nona e última temporada, que se passa em tempo real no dia do casamento de dois personagens centrais. O finale em si, aliás, é contestado até hoje por fãs e críticos, que tem sentimentos mistos pela série.

Claro que não são só essas. Faltaram séries como Arrow, The Flash, Grey's Anatomy, Gossip Girl, Lost, The Big Bang Theory e muitas outras que, provavelmente integrarão uma segunda parte deste listão inacabável de séries. 

Concorda com todas as escolhas? Quer xingar o Fabão pela inclusão de Game of Thrones? Deixe um comentário aqui e diga que outra série está na sua lista de "Não Aguento Mais, Por Favor, Pare".
Nicolaos Garófalo escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook