Cinema

Crítica: O Mistério do Relógio na Parede

O Mistério do Relógio na Parede chega aos cinemas em 20 de setembro, estrelado por Jack Black e Cate Blanchett



Estrelado por Jack Black e Cate Blanchett, que já conquistou duas estatuetas do Oscar, O Mistério do Relógio na Parede é um filme onde acontecem coisas fantásticas nos lugares mais inesperados. Baseado no clássico da literatura infantojuvenil, escrito por John Bellairs, o filme é dirigido por Eli Roth e escrito por Eric Kripke, guarde essa informação.


Sinopse
Lewis (Owen Vaccaro) um garoto de 10 anos vai morar com o tio Jonathan Barnavelt (Jack Black) após a morte dos pais, em uma casa com paredes cobertas de relógios. Entretanto, a cidade pacata de Zebedee estremece quando inesperadamente Lewis acidentalmente despertar os mortos.

O mistério do relógio na parede é o tipo de filme que penso “isso é mesmo para crianças?”, pois me lembrou tanto quando assisti Coraline e A princesa e o sapo e a crianças começaram a chorar dentro da sala de cinema. Sorte que dessa vez não tinha nenhuma na sala e consegui assistir o filme sem interrupções. (Com exceção da criatura sentada na fileira ao lado que roncou durante a exibição. A noite deve ter sido produtiva pra ele!)


Acredito que o toque de terror ficou por conta de Eric Kripke, falei para anotar o nome. O cara que escreveu Supernatural, aquela série que já deveria ter acabado no qual as pessoas entram e saem do inferno como se fosse a casa da mãe Joana. Ainda temos o diretor Eli Roth que é o responsável por O Albergue. Até fiz um Google para saber se ele tinha dirigido Annabelle, uma vez que aparecerem uns brinquedos que pareciam primos da Anninha.

Os atores dão um show. Cate Blanchett é uma rainha na tela e, mesmo com aquela peruca da vovó, ficou um arraso. Até perdi um cadinho de tempo achando que ela deveria ter interpretado a Mary Poppins do novo filme. Acredito que a personagem dela deve ser mais velha no livro, pois algumas atitudes dela lembram aquelas tias solteironas dos clássicos da literatura. Porém, no filme uma tragédia fez ela se tornar uma pessoa triste e sem poderes. Jack Black é outro ator que merece toda a minha atenção, apesar do fracasso de As viagens de Gulliver, tem meu respeito.


O protagonismo, no entanto, fica com Lewis. Ele é aquele moleque fofinho que parece que saiu das embalagens da bala Juquinha. Um nerd que ao tentar fazer amigos acaba, praticamente, provocando a extinção da humanidade. E como todo nerd de filme, se bem que conheço vários iguais a ele, não percebe que ao lado tem alguém que realmente quer fazer amizade.

O mistério do relógio na Parede é um filme estilo fábula com uma lição no final. Afinal, temos personagens solitários que se encontram e precisam salvar o mundo juntos. Ops! Vou parar por aqui, se não entrego o final do filme.


O filme é bonitinho e é uma diversão para toda a família, tem algumas passagens sobre magia negra e necromancia, palavra que aprendi o significado mês passado. Então, não recomendo para pessoas impressionáveis. Em outras palavras: não leve seu filho pequeno que chora quando vê fantasmas. Obrigado!

Ficha técnica

Título: O Mistério do Relógio na Parede
Título original:  The House with a Clock in it Walls

País: EUA
Data de estréia: 20 de setembro de 2018
Gênero: Fantasia, Família

Duração: 105 minutos

Distribuidora: Universal
Classificação: 10 anos
Direção: Eli Roth
Elenco: Jack Black, Cate Blanchett, Owen Vaccaro, Sunny Suljic, Colleen Camp, Renée Elise Goldsberry, Kyle MacLachlan e Lorenza Izzo.
Karina E. da Costa escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook