Cinema

Crítica: Lion - A carga emotiva do Oscar 2017

Mesmo sendo baseado em fatos reais, Lion surpreende pela atuação.

De um tema já bastante utilizado e reutilizado, surge uma obra-prima. Lion conta a história de Saroo (interpretado em duas épocas diferentes, por Sunny Pawar e Dev Patel) que se perde, em uma estação de trem, do seu irmão mais velho. Daí em diante, o que temos é uma “busca por sua origem”, mas carregado de dor, sobrevivência e uma dose grandiosa de amor.

Da grande safra que o Oscar 2017 nos proporcionou, este filme se consagra como um dos maiores. Além de uma história comovente e cativante, somos apresentados a um imenso personagem, carregado inteiramente nos pequenos braços do ator que chama a atenção durante toda sua aparição. Não estou falando de Dev Patel, o eterno Jamal do premiado Quem quer ser um milionário?, mas sim do pequeno Sunny Pawar, o mesmo personagem de Dev Patel, mas quando criança. Saroo tem em seus olhos uma inocência que te faz comprar totalmente a cena em que ele está. Em nenhum momento duvidamos da seriedade dos acontecimentos ou da imersão que o longa nos proporciona. É inacreditavelmente radiante. Sunny, estou ansioso por seus próximos papéis!

Cena do filme

A Jornada Para Casa

Aos 25 anos, mais velho, Saroo começa a ser interpretado por Dev Patel, e sua crise existencial grita para ser ouvida. Quando mais novo, fora adotado por um casal australiano que lhe tirou das ruas e do perigo que as mesmas apresentavam. Com carinho e amor, cresceu ao lado de um irmão também adotado. E ambos mudaram a vida do casal Brierley, assim com os novos pais mudaram as suas. O longa apresenta a relação difícil entre eles, com problemas, mas nada que o amor não resolvesse. Por mais que seja mostrado cenas problemáticas na família adotiva, esse, com certeza, não é o foco que o filme quer nos mostrar.

Saroo sente falta de sua família biológica. Sua curiosidade por o que aconteceu durante todo esse tempo, seu vazio no peito clamam por respostas. O irmão mais velho e de sua mãe são figuras presentes em seus pensamentos. E aí começa a tal Jornada para casa, que o título brasileiro traz em sua tradução.

Dev Patel é Saroo mais velho


Seria mais fácil se Saroo lembrasse o nome de sua cidade natal. Ou se lembrasse o nome da estação em que se perdeu. Ou se tivesse qualquer outra informação relevante sobre sua família ou sua origem. Era novo demais quando se perdeu, e as informações eram escassas demais para que pudesse ter resolvido isso antes. Entretanto, não está sozinho em sua busca. Seu par romântico lhe dá empurrões para não desistir, sua mãe, Nicole Kidman, lhe dá forças para ir. E, de repente, você se dá conta que já está no final de um longa que não parece ter sido tão longo assim.

Conclusão

E o filme surpreende. E como é gostoso ver o desfecho! Podemos resumir Lion em: atuações incríveis e um desfecho lindo, mas ainda assim seria pouco demais para algo tão grandioso. Não sabemos se conseguirá bater de frente com o grande preferido da noite, mas que fique aqui um aviso ao maravilhoso La La Land: a competição está à altura! (E eu amaria que este aqui fosse o grande vencedor da noite).

E por que o nome Lion? Ah, meus caros leitores, essa é uma resposta tão significante que deixarei que descubram sozinhos!

O ator mirim é quem rouba a cena

Ficha Técnica

Nome: Lion - Uma Jornada Para Casa
Nome Original: Lion
Origem: EUA
Ano de produção: 2016
Lançamento: 16 de fevereiro de 2017
Gênero: Drama
Classificação: 12 Anos
Direção: Garth Davis
Elenco: Dev Patel, Nicole Kidman, David Wenham, Rooney Mara, 
Giovane Lima escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook