Séries

Sonic SatAM: A animação do Sonic nos anos 90

Sonic e seus amigos enfrentam a tirania de Robotnik nessa animação que marcou a infância de muitos


Não faz muito tempo que falamos da série de quadrinhos de Sonic e como ela cooperou para a fama do azulão em outras mídias, e aproveitando esse gancho do “Ano do Sonic” resolvemos falar de uma das principais séries animadas que serviu de inspiração para as HQs e marcou a infância de muitos nos anos 90. Então se prepare para uma verdadeira viagem no tempo, pois iremos relembrar o saudoso desenho Sonic the Hedgehog, também popularmente conhecido como Sonic SatAM.

Redefinindo Sonic

Em 1993, pouco tempo depois da animação Adventures of Sonic the Hedgehog ter sido exibida, a DIC Entertainment lançou em novembro um novo desenho do azulão intitulado apenas como Sonic the Hedgehog, o qual acabou recebendo pela fandom o título de SatAM porque era transmitido nos Estados Unidos aos Sábados (Saturday) durante o período da manhã (AM). No Brasil o desenho foi transmitido pelo SBT, diariamente nas manhãs do Bom Dia & Cia e no programa Festolândia, por volta de 2002/2003.
Sonic SatAM se destaca por seu enredo mais tenso e aspectos sombrios

Diferente da primeira animação citada (que contava com uma temática mais colorida e maluca), este novo desenho destacou-se rapidamente por trazer um conteúdo mais sério, apresentando diversos personagens carismáticos, uma história com mais ação e bem elaborada, além de uma ambientação mais sombria em determinados momentos. Isso foi uma grande jogada de marketing da Sega, pois visava exatamente crianças na faixa dentre juniores e pré-adolescentes.

Sonic e os Guerreiros da Liberdade

O desenho conta a história de Sonic e os Guerreiros da Liberdade, uma aliança rebelde que vive na floresta de Knothole, no planeta Móbius, defendendo a ordem e a paz contra as maldades do Dr. Robotnik, um tirano que com sua horda de swatbots pretende robotizar a todos os seres do planeta, transformando-os em seu escravos. O destaque do desenho vai para Sonic (com sua velocidade e seu jeito “meninão”) e Sally (líder dos guerreiros e cérebro da equipe), que juntos são os principais inimigos do nefasto cientista. Ao decorrer da história outros personagens como Bunnie, Rotor, Tails e Antoine vão ganhando destaque dentro do grupo, além de mais mistérios que acabam surgindo, bem como a aparição de outros grupos de guerreiros da liberdade, o que acrescenta ainda mais enredo pra trama.
Sally e Sonic: o casal destaque da série

A temática e aspecto da animação é bem diferente dos jogos do Sonic (em especial as saga dos principais jogos no Mega Drive), no entanto ele conta com a participação de coadjuvantes do jogo Sonic Spinball, (também lançado em 1993) como Antoine, Robotor, Bunnie e Sally Acorn. Isso ocorre porque o desenho foi encomendado pela Sega Americana (o que é explícito no seu foco ocidental), e neste período a história de Sonic nos jogos estava começando a tomar forma, além da falta de união entre a Sega Americana e Japonesa, dificultando a realização de um desenho mais fiel ao enredo dos videogames. Apesar do distanciamento nos jogos, Sonic SatAM cativou bastante o publicou e cooperou para que em pouco tempo Sonic acabasse se tornando o personagem mais popular entre a garotada dos anos 90.
Apesar de não apresentar nenhum vínculo com os jogos, a série teve boa recepção

Sucesso e decadência

Apesar de todo o sucesso adquirido, Sonic SatAM teve em seu total apenas 26 episódios lançados com duração de aproximadamente 20 minutos, sendo distribuídos em 2 temporadas. A primeira temporada teve a participação de diversos roteiristas e foi produzido no formato de seriado (onde cada episódio era independente e sem a obrigação de assistir os demais para compreende-lo), e a partir da segunda temporada o desenho passou a ter o formato de série, com episódios posteriores vinculados aos anteriores (sendo considerada a melhor temporada entre os fãs). Uma terceira temporada chegou a ser cogitada para a animação, porém, devido à baixa audiência na época em que estava concorrendo com a exibição de Mighty Morphin Power Rangers, o desenho acabou sendo cancelado chegando apenas a concluir a luta entre Sonic e Robotnik.
Mesmo com muito potencial, o desenho não chegou a ter uma terceira temporada
Segundo informações da direção do desenho, a terceira temporada traria Ixis Nagus como vilão principal e ainda teríamos Snively (o sobrinho de Robotnik) como um desenvolvimento melhor de antagonista, além dos Guerreiros da Liberdade retomando sua antiga terra: Mobotropolis (que havia sido usurpada por Robotnik). Felizmente essas ideias foram levadas para os quadrinhos do Sonic produzidos pela Archie Comic durante sua quarta temporada. No entanto é inegável o marco dessa animação, que trouxe um enredo mais profundo e uma temática mais densa não subestimando a inteligência das crianças dessa época, isso porque ele é de fácil compreensão e mesmo retratando temas mais maduros não chega a agredir ao público. Caso esteja curioso para assisti-lo ou deseja reviver este clássico dos anos 90, a série pode ser encontrada completa na Netflix.

E você? Já conhecia esta animação? Gostava do desenho? Deixe sua opinião nos comentários!

Áquila Braga escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook