Cinema

Crítica: Vingadores: Guerra Infinita, o melhor presente de 10 anos do MCU

Filme que reúne o trabalho de 10(dez) anos do Universo Cinematográfico da Marvel, mostra como um projeto bem organizado e estruturado funciona


Finalmente o tão esperado Vingadores: Guerra Infinita chegou. A expectativa por este filme era bem alta e ele veio para corresponder, com um longa de mais de 2 horas e meia, reunindo os personagens apresentados ao longo de 18(dezoito) filmes anteriores.


Na história, Thanos está reunindo as Jóias do Infinito (que foram apresentadas em Vingadores, Thor: Mundo Sombrio, Vingadores: A Era de Ultron, Guardiões da Galáxia e Doutor Estranho) para poder realizar seu plano de balancear o universo matando metade dele.



Um projeto desta magnitude, com os maiores heróis do universo é uma aventura sem precedentes. A história começa já com a guerra explodindo e Thanos mostrando como e porque é temido pelo cosmo. A força do titã é algo descomunal que, como mostrado nos trailers, consegue subjugar todos os heróis.



O Filme tem um bom roteiro, uma história bem desenvolvida, a utilização dos personagens lembra o trabalho que Joss Whedon fez no primeiro filme dos Vingadores. Nenhum personagem deixou de ter importância, claro que os holofotes ficam mais tempo em cima de Tony Stark e Steve Rogers (não mais Capitão América, devido aos eventos de Capitão América: Guerra Civil). Em alguns momentos do filme o ritmo cai um pouco de maneira perceptível, o espectador sabe que a cena tem contexto mas é uma caída brusca no ritmo.

A trilha sonora é excelente, até porque, tem o núcleo de Guardiões da Galáxia que tem uma trilha sonora maravilhosa nos seus dois filmes.

Heróis



Thanos chega em um período onde os heróis estão vivendo seu período mais complicado. Os Vingadores separados, Thor vagando no espaço após a queda de Asgard. Quem ainda tem um núcleo mais estável é o pessoal de Wakanda e os Guardiões que não sofreram um impacto que mudou o rumo da sua saga. Um conselho: é bom lembrar como foi cada filme porque chove referências.

Thanos



O que dizer do Titã louco que já flertou com a morte (literalmente)? Thanos é um vilão com um propósito "nobre" do tipo, "os fins justificam os meios". É incrível como Josh Brolin apresentou um personagem que faz você se importar com o vilão e, ao mesmo tempo, achar ele um grande FDP. Thanos traz uma sentimentalidade e uma paixão pelos seus ideais que em certo momento te cativa.

Conclusão


Vingadores: Guerra Infinita é um filme que mesmo com a quebra de ritmo em alguns momentos, vale muito a pena conferir, afinal, é o resultado de um projeto que vem sendo desenvolvido há mais de 10 anos, não foi idealizado da noite para o dia. Com certeza Vingadores entra para um Top10 fácil.

Ficha Técnica


Nome: Vingadores - Guerra Infinita
Nome Original: Avengers - Infinity War
Ano de produção: 2018
Gênero: Ação
Classificação: 12 anos
Direção: Joe Russo, Anthony Russo
Elenco: Chris Evans, Scarlett Johansson, Mark Ruffalo, Chris Hemsworth, Robert Downey Jr., Chris Pratt, Chadwick Boseman
Fabio Camilo é bacharel em Comunicação Social com especialização em Rádio, TV e Vídeo, roteirista, poeta, viciado/apaixonado por filmes, séries e quadrinhos, cansado de esperar pela carta de Hogwarts, agora treina para ser um sith ou uma chance de ser chamado para Hollywood.
Este texto não representa a opinião do GeekBlast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Facebook