Crítica - "The Good Place" - 3ª Temporada

Comédia de Michael Schur surpreende novamente e emociona com mais uma ótima temporada



Michael Schur é hoje um dos maiores nomes da comédia americana. Cria do Saturday Night Live, o produtor e roteirista é responsável pela criação de sucessos como Brooklyn Nine-Nine, Parks & Recreation e a adaptação norte-americana de The Office. Mas, desde 2016, o nome de Schur é também associado à melhor comédia da TV aberta dos EUA, The Good Place, que encerrou, no último dia 25, mais uma ótima temporada.

Completamente escrita em torno de princípios da filosofia moral, The Good Place questionou o quanto os seres os humanos realmente são bons em suas duas primeiras temporadas. Com atuações absolutamente brilhantes e plot-twists desconcertantes, a série parecia não ter muito para onde ir ao entrar em sua 3ª temporada. Grande engano.

Depois de negociar com A Juíza (Maya Rudolph), Michael (indicado ao Globo de Ouro Ted Danson) impede as mortes de Eleonor (indicada ao Globo de Ouro Kristen Bell), Chidi (William Jackson Harper), Jason (Manny Jacinto) e Tahani (Jameela Jamil), para provar que experiências extremas podem fazer com que humanos destinados ao Lugar Ruim mudem o bastante para merecer um espaço no Lugar Bom, o que leva a situações geniais como Tahani e Jason distribuindo milhões de dólares pelas ruas e Eleonor fingindo se importar com o meio-ambiente.

Tahani e Jason distribuem dinheiro na rua

Depois de vários vai-e-vens e interferências de demônios do Lugar Ruim, Michael e Janet (a espetacular D'Arcy Carden) encerram o acordo feito com A Juíza, abrindo o jogo sobre a vida após a morte para os protagonistas, que saem em uma saga para salvar seus entes queridos.

Enquanto Tahani, Eleonor e Jason focam em suas missões para poupar a alma dos que amam da danação eterna, Chidi entra na maior crise existencial da série (o que não é pouca coisa), rendendo não só uma das cenas mais sexy-cômicas do programa, mas também um dos diálogos mais emocionantes do ano (e foram vários).

Crise semi-nua de Chidi "quebrou" a internet

Depois de dois ganchos inesperados nos finales das temporadas passadas, era de se esperar que Schur e sua equipe ficassem sem ideias para encerrar o terceiro ano, apesar do bom desenvolvimento dos episódios. A reunião do "Esquadrão da Alma", a aparição do mítico Doug Forcett (Michael McKean) e mesmo o encontro entre Eleonor e sua mãe ausente (Leslie Grossman) pareciam apontar para uma iminente seca de ideias dos roteiristas.

Os dois últimos episódios, porém, provaram que não só a equipe de The Good Place sabe muito bem o que está fazendo, mas que as personagens criadas têm seu desenvolvimento de três anos comprovado a cada cena filmada. Tahani percebendo as armadilhas planejadas pelo inimigo e se negando a voltar a ser a sub-celebridade mimada é um dos pontos mais altos de seu arco até aqui.

"Esquadrão da Alma" é, provavelmente, o grupo de personagens melhor desenvolvido atualmente

Mas é especialmente nas relações de Eleonor com Michael e Chidi que percebemos as grandes mudanças. A "líder" do grupo deixa para trás qualquer traço do "lixo branco do Arizona" e se liberta de qualquer egoísmo em suas decisões para ajudar o ex-nêmesis (e agora figura paterna) e aceitar a primeira resolução própria do namorado.

Diferentemente dos anos anteriores, a terceira temporada de The Good Place não se encerra com um gancho de suspense ou aquele habitual tapa na cara. Não, o twist aqui é puramente emocional, mas forte o bastante para dar um nó no estômago que só será desfeito com o início do novo ano.

Relação de Eleonor com Chidi é uma das grandes provas da evolução das personagens

Finalmente chamando a atenção de premiações como o Globo de Ouro (apesar de perder para a igualmente brilhante Marvelous Mrs. Maisel, da Amazon), The Good Place se destaca novamente entre outras grandes (e necessárias) comédias pela carga emocional e intelectual colocada em cada diálogo.

Sob o comando de Michael Schur e com atuações sempre impecáveis de seu elenco, a série mostra que tem de tudo para seguir no topo e, eventualmente, entrar para a história como uma das melhores comédias de todos os tempos.

Transmitida originalmente pela NBC, The Good Place tem suas três temporadas disponíveis na Netflix.

Escreve para o GeekBlast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook