Cinema

Crítica: Tudo Bem no Natal que Vem – comédia natalina com Leandro Hassum é mais do mesmo

Tudo bem no ano que vem é comédia nacional natalina da Netflix estrelada por Leandro Hassum, Elisa Pinheiro e Danielle Winits













Tudo Bem no Natal que Vem comédia natalina nacional da Netflix com Leandro Hassum, estreou no catálogo do streaming em 03 de dezembro. O filme apresenta os personagens típicos das celebrações de final de ano e uma história requintada.

Sinopse

Um pai de família fica preso no dia 24 de dezembro – logo ele, que odeia o Natal. Agora, este homem rabugento vai aprender o que realmente importa na vida.










Em Tudo bem no Natal que Vem Leandro Hassum é Jorge, um homem que detesta o Natal porque nasceu nessa data. Só quem nasceu próximo ou durante as festas de final de ano sabe o quanto é difícil perceber que todos esqueceram o seu aniversário, pois, estavam muito ocupados com os preparativos.

Também tem o fato de ganhar só um presente, afinal filhos que nascem no natal é o sonho de pais que amam economizar. 2 pelo preço de 1, Julius aprovaria. 


Ainda tem o fato de todos estarem viajando e não ser possível fazer uma festa de aniversário. Situações que foram exploradas na narrativa para justificar o ranço de Jorge pelo feriadão em família.

E temos mais uma comédia natalina

Quando vi o trailer tive aquela sensação de já ter visto esse filme, coisa normal quando falamos de filmes natalinos. Entretanto, ao começar a assistir o longa essa sensação se tornou um déjà-vu. Então aquela frase repetida diversas vezes no tempo de escola começou a martelar “pode copiar, mas faz diferente”. Isso, é exatamente o que acontece com Tudo bem no Natal que Vem, que fez o ctrl + C e ctrl + V de Click, comédia de Adam Sandler, e colocou uma atmosfera natalina para disfarçar a inspiração.



Quanto mais eu assistia, mais eu torcia para que rolasse um plot twist e os rumos do filme alterasse. Só que isso não acontece. Te adoro Hassum, mas não tem como defender essa comédia. Logo, nem o tio do pavê e a gostosona do escritório foram capazes de salvar o roteiro.

A importância de valorizar quem amamos

Como em termos de narrativa não temos nenhuma novidade, vamos focar no tema central da história. O clichê supremo dos filmes de Natal.

Aquele problema que sempre surge no final do ano, pessoas que são escrotas durante 355 dias, mas que subitamente se tornam as melhores com a proximidade do natal. Isso sim! É pior que uva-passa na salada de maionese. Que por sinal eu adoro, pode colocar passas, maçã e nozes que eu curto.



Na comédia da Netflix a família de Jorge precisa esperar durante 1 ano para desfrutar da melhor versão dele. Já que, nos demais dias Jorge é uma pessoa horrível. Que não liga para os filhos, que já trocou a esposa por um modelo turbinado. Que prioriza o ter, em detrimento ao ser. Ops, acredito que é a mesma temática de Click, putz foi mal.

Enfim, Tudo bem no Natal que vem não tem nada de novo, os personagens são sem graça. Temos a Danielle Winits interpretando a mesma personagem pela milionésima vez e nem as caras e bocas de Hassum salvam esse peru de morrer de véspera.











Ficha técnica

Título: Tudo bem no natal que vem

Título original: Tudo bem no natal que vem

País: Brasil

Data de estreia: 03 de dezembro de 2020

Gênero: Comédia

Duração: 100 minutos

Distribuidora: Netflix

Direção: Roberto Santucci

Elenco: Leandro Hassum, Elisa Pinheiro, Danielle Winits, Louise Cardoso, Rodrigo Fagundes, Arianne Botelho, Miguel Rômulo, José Rubens Chachá, Levi Ferreira e Daniel Filho.


Kika Ernane, Karina no RG, e sou multitarefa (designer, ilustradora, redatora, escritora e na caça de mais uma habilidade). Uma mulher como muitas da minha época, que ainda não descobriram como aproveitar a liberdade que lutaram tanto para conseguir. Muito menos administrar todas as tecnologias disponíveis. Enfim, estou sempre aprendendo.


Disqus
Facebook
Google