Quadrinhos

Resenha: Sonic the Hedgehog (Vol. 1) - Depois da Guerra

As novas HQs do ouriço mais rápido da cultura pop chegaram ao Brasil. Confira o que achamos dela!

Sem dúvida 2021 é o ano do Sonic, já que hoje (23 de Junho) o ouriço mais querido dos jogos eletrônicos completa 30 anos. Entre os altos e baixos da sua carreira, o mascote da Sega tem se mantido nos holofotes da fama, sejam por novos jogos ou por sua presença em diversas outras mídias, tais como animações, séries, filmes, brinquedos e, é claro, quadrinhos. E foi neste ano, mesmo em meio ao "Chaos" da pandemia, que os fãs brasileiros do azulão foram agraciados com a chegada dos novos quadrinhos de Sonic em terras tupiniquins.

A seguir confira nossas primeiras impressões de "Sonic the Hedgehog - Depois da Guerra", o 1º Volume da série em quadrinhos produzida pela IDW Comics, publicada no Brasil pela Editora Geektopia, do Grupo Novo Século.


Sonic em quadrinhos


Bem antes da IDW, Sonic já tinha um bom histórico na mídia dos quadrinhos, em especial nos EUA com as HQs produzidas pela Archie Comics (inclusive tendo como base o desenho Sonic SatAM) e também com produções da Fleetway Publications no Reino Unido (que durou até o ano de 2002).

No Brasil, poucas edições da Archie Comics chegaram a ser publicadas. Inicialmente, durante a "Era de Ouro" do Sonic, a Editora Escala trouxe as seis primeiras edições da série em quadrinhos "Sonic the Hedgehog" em 1995. Já entre 2009 e 2010, a Editora On Line publicou as cinco primeiras edições de "Sonic X em Quadrinhos". Por fim, entre 2013 e 2014, foi a vez da Editora Alto Astral trazer as duas primeiras edições do gibi Sonic Universe em uma única HQ intitulada "Sonic Quadrinhos", e mais tarde a mesma publicou dois volumes de "Sonic Universe" (os quais compilavam as edições 5 á 8 da revista de mesmo nome).

Durante seu tempo na Archie Comics, Sonic chegou a entrar para o Guinness como "Série em quadrinhos de maior duração no mercado baseado em um personagem de video game"

Após o encerramento da parceria entre Sega e Archie Comics em 2017, a IDW passou a ser a nova casa dos quadrinhos do Sonic e uma nova série passou a ser publicada a partir de Abril de 2018. Sem a presença dos personagens exclusivos dos antigos quadrinhos (tais como Sally, BunnieScourgeMina e Enerjak), aqui a história sofreu um completo reboot do que já havia sido produzido e estabelecido na editora anterior, dando total ênfase ao universo dos jogos e aos personagens de maior destaque na série (em especial Sonic, Tails, Amy e Knuckles). Além destes, foram introduzidos personagens novos, criados completamente do zero, e um leque enorme para explorar antigos elementos dos jogos de uma forma mais aprofundada.

Depois da Guerra


Este volume compila as quatro primeiras edições da IDW, que na época de lançamento haviam sido distribuídas semanalmente. A história se passa pouco tempo depois dos eventos de Sonic Forces (aliás, foi a própria IDW quem produziu uma minisérie promocional do jogo), no entanto não é necessário joga-lo para ler o quadrinho, pois a primeira página resume bem toda a jornada que o herói velocista já havia percorrido nos jogos anteriores (com cenas das batalhas de Sonic Adventure, Sonic Heroes, Sonic Unleashed e do próprio Forces), informando que após a última luta, seu arque-inimigo Dr. Eggman Robotnik simplesmente desapareceu.

Resumão de uma franquia com 30 anos em uma única página

Nisso somos apresentados a um mundo cheio e vestígios de uma pós-guerra, onde os robôs do exercito de Eggman, apesar de não estarem mais seguindo ordens, continuam a atacar cidades de forma acidental, cabendo aos nossos heróis da Resistência terem de lidar com estes pequenos problemas. Com o decorrer de alguns confrontos, Tails diz a Sonic que os últimos ataques tem sido mais organizados para serem considerados acidentes, mas acreditam que não seja o Dr. Eggman quem está por detrás disso. Quem seria este novo inimigo que usurpou o lugar do doutor? Um novo vilão exclusivo? Um dos antigos lacaios do cientista?  Ou seria de fato o próprio Eggman utilizando uma nova estratégia? Só lendo para descobrir.

Em cada uma das edições acompanhamos Sonic se aventurando por batalhas em uma determinada cidade, recebendo ajuda de um de seus principais companheiros (Tails, Amy, Knuckles ou Blaze) e coletando pistas para encontrar a fonte de todo este caos. A interação entre o ouriço azul e seus amigos é bastante coesa e muito bem trabalhada, com destaque para os momentos de preocupação de Tails para com seu amigo e os "flertes" entre Sonic e Amy. Os diálogos estão bem feitos, raramente soando de forma boba, sabendo dosar entre momentos sérios e cômicos na medida certa. Isso sem falar nas histórias que seguem um enredo simples porém com um bom "time" de fluidez, não se demorando em diálogos explicativos ou prologando momentos de batalha (deixando a narrativa mais dinâmica sem apelar para um "show visual enfadonho").

Rostos conhecidos e novos te aguardam nessas batalhas

Para quem já conhece a franquia a longo prazo, poderá pescar alguns easter-egg, como Sonic dizendo a um dos moradores utilizando um "wispon" que conheceu alguém que sabia usar muito bem esse armamento (uma clara referência ao personagem customizável "Rookie" de Sonic Forces), ou a dupla Sonic e Tails utilizando o double-dash (ataque exclusivo do jogo Sonic the Hedgehog 4: Episode II) entre vários outros detalhes.

Algo bem nítido de se perceber são os diferentes traços dos desenhistas de cada edição. Tracey Yardley, principal desenhista da série, apresenta seu estilo na primeira edição com traços e colorações mais simples e enxutas, além de enquadramentos padrões que podem até não encher os olhos em momentos de ação, mas que em nada deixam a desejar no andamento do roteiro. Já na história seguinte, o desenhista Adam Bryce Thomas mostra a que veio com seus traços mais dinâmicos e despretensioso, além das excelentes escolhas de enquadramentos para cenas de ação (de longe as que eu mais gostei).

Os momentos de ação nas mãos de Thomas são verdadeiras
obras-primas!


Já na terceira edição, Jennifer Hernandez traz uma queda na qualidade dos desenhos se comparados aos anteriores, inclusive com as cenas de luta mais fracas da HQ, apostando mais em cores vivas e ótimos fanserves para compensar tal falta, com destaque para Sonic citando os Hooligans (grupo formado pelos clássicos personagens Fang, Bean e Bark que aparecem em Sonic Mania) e os novos vilões apresentados fazendo referência as poses e jargões da Equipe Rocket do anime Pokémon

Por fim, a última história desenhada por Evan Stanley é um verdadeiro deleito para os olhos, com traços mais suaves e uso de retículas e hachuras. Seus enquadramentos durante cenas de ação e batalha são incríveis (ficando atrás apenas dos de Thomas) e o modo como apresenta a nova personagem Tangle the Lemur não poderia ser melhor. Você se apaixona por ela com sua personalidade energética e extrovertida já nos primeiros momentos de sua aparição. Com certeza quero ver mais dessa personagem nas futuras edições.

Pois é! Até já imaginaram como seria a participação da Tangle em jogos e/ou animações

Versão Original vs. Versão HUE-BR


Por mais que grande parte da fidelidade ao material original tenha sido mantida, a versão brasileira do quadrinho possui alguns diferenciais quando comparado com a americana. Para começar, em contraste com o material original, nossa versão possui duas capas internas, além de orelhas (com uma delas inclusive contendo informações sobre o autor Ian Flynn e o desenhista Tracey Yardley) e um estiloso marca página com uma das artes da primeira edição.

Já a qualidade do papel difere pela gramatura, pois enquanto a versão original possui páginas mais resistente, a gramatura da brasileira é mais fina. Outro diferencial está na capa do quadrinho, pois apesar de ambas as versões serem em lombada brochura e possuírem capa em papel cartão, a americana traz um papel brilhoso enquanto a brasileira é feita com papel fosco (algo que também pode ser percebido quando comparamos as páginas internas das duas HQs). No entanto, a capa brasileira traz um diferencial com a logo tendo efeito em papel brilhante, um cuidado interessante da Geektopia e que dá certo charme a esta versão.

A junção das capas destas quatro edições formam esta linda arte

A tradução para o português feita por Érico Assis também está legal, com diversas gírias e piadas bem adaptadas. No entanto, esta versão caio no mesmo pecado do anime Sonic X aqui no Brasil: tradução de nomes. Felizmente as únicas vítimas da vez foram os personagens "Rough & Tumble", que tiveram seus nomes trocados por "Dezor & Danado", o que particularmente soa bem estranho, já que a Tangle teve seu nome mantido como no original. Uma escolha deveras bizarra por parte da tradução.

Vale a pena correr para adquirir?


"Sonic the Hedgehog - Depois da Guerra" é sem dúvida alguma uma das leituras mais divertidas e descontraídas que tive este ano. Enredo simples, mas interessante, um bom equilíbrio entre o cômico e a seriedade, ótimos enquadramentos e dinamismo, além da boa dose de ação na medida certa. Isso sem falar nos finais de cada história, que deixam um bom gancho para a próxima edição.

Que venham os próximos volumes e mais histórias com essa dupla!

Para quem já é velho de guerra e acompanhava os antigos quadrinhos da Archie, pode ser um tanto decepcionante não ver alguns rostos queridos nessa nova adaptação, como os componentes dos Lutadores da Liberdade ou até mesmo citações a algum personagem exclusivo das antigas HQs, como Breezie, Gold Ixis Nagus, mas isso nem de longe tira o mérito da abordagem desse novo quadrinho. Todos os personagens principais são muito carismáticos e os novos em nada deixam a desejar. O preço base de R$ 59,90 ainda soa meio exagerado ao meu ver (levando principalmente em conta o número de páginas do quadrinho), mas é possível acha-lo em sites famosos por um preço bem mais reduzido.

Seja você fã da franquia ou não, é uma ótima pedida, pois no fim das contas estará consumindo uma HQ extremamente divertida, e, particularmente, eu mal posso esperar para a chegada do Volume 2 dessa série. Enfim os quadrinhos do Sonic estão recebendo o tratamento que mereciam aqui no Brasil.

Ficha Técnica


Nome: Sonic the Hedgehog - Depois da Guerra
Nome Original: Sonic the Hedgehog - Fallout
Autor: Ian Flynn
Tradutor: Érico Assis
Página: 104
Preço: 59,90
Formato: 25.4 x 16.51 x 0.51 cm
ISBN-13: 978-6555611601
Editora: Geektopia; 1ª Edição


Desenhista, quadrinista e colunista, é um verdadeiro apaixonado pelo Universo Geek e Cultura Pop em geral. Fã de carteirinha de Sonic, Star Wars e dos gênios Akira Toriyama e Jack Kirby, escreve para a GeekBlast e também desenvolve pesquisas na área dos quadrinhos.


Disqus
Facebook
Google